Sponsor
BRAZIL. SP .
Clique aqui para baixar o Flash Player

Conforme comunicado a Casa Branca nesta data, bem como aos nossos clientes e colaboradore de Chicago, Nova Iork, Los Angeles, do Cinturão de Soja e Milho e dos que dependem do nível do rio Mississipi, que por determinação do Astral, estamos Suspendendo a partir dessa data Todo e Qualquer atendimento climático aos EUA, enquanto perdurar a falta de bom senso do presidente Donald Trump com relação a retirada dos EUA do Acordo de Paris, rompendo o acordo global firmado em dezembro de 2015 com mais de 190 países para reduzir a emissão de gases que produzem o efeito estufa... FCCC reativou dia 01.02.17 convênio operacional com a Prefeitura de SP. Para dar uma trégua nas chuvas em SO a FCCC optou por Desviar os fenômenos a Alta da Bolívia para o Mato Grosso, e a Baixa do Chaco, para o Paraguai, que irão permitir uma trégua da chuva na capital paulista. Com isso, as frente frias virão mais secas e só se tornariam mais úmidas sobre o norte de Minas Gerais. Beneficiando a nascente do rio São Francisco e reduzindo a seca no DF. Em 2017 vai continuar aumentando o número de Refugiados da Natureza, o Tempo vai continuar em Fúria... Os anos de 2016 e 2017 Continuarão sendo lembrados como os Anos em que a Fúria da Natureza desafiou o homem por todo o planeta. Fogo, Água, Terra e Ar: Todos Elementos continuam em Fúria: Furacão Katrina disparou o Alarme das Mudanças do Clima no Planeta, só os EUA não viam. Mas o presidente Obama mudou isso na saída e junto com a China assinou o tratado de Kyoto. Srs. Colaboradores: Já está disponível em nosso site (Previsão do Tempo-Alertas Especiais)o novo boletim especial da estação-Verao Inverno 2017(Brasil]e também mais detalhes dos fenômenos El Niño,La Niña e Alta da Bolívia. • Se sua empresa não é cadastrada, faça sua Inscrição acessando a página Contato.

   NEWS   |  ARCHIVE   |  AGREEMENTS  |  METEOROLOGY  |  OUR OPERATIONS   |  KIDNAPPINGS
I m p o r t a n t

Fiction X Reality
Globe Reporter
14 of May of 2006 5 years after the tragedy that shook the world

The proposal for FHC in 04.04.2001
Commitment of FHC in executing against departure of the FCCC, anticipates rainy period.
FCCC assisted Argentina in the energy crisis of 1989.
 
 
 
 
 
 
 
Index of notice »
News 2008
 

Blogs O Globo de 12/03/2010
Rio de Janeiro, 14 de Junho de 2017

Coluna do Moreno c/ Luiz Garcia

Paz e Luz Moreno! Você fez história e seu legado será um espelho para o jornalismo.
Que o grande Arquiteto do Universo e os Espíritos de luz iluminem seu regresso ao plano espiritual.

BLOG DO MORENO:
Ouvir o cacique
POR JORGE BASTOS MORENO12/03/2010 10:14
LUIZ GARCIA
É muito simples entender o que é a Fundação Cacique Cobra Coral. Trata-se de organização que se declara beneficente — e não há qualquer prova em contrário — que se atribuiu a missão de "minimizar catástrofes" avisando as autoridades com antecedência. Claro, entender é uma coisa, acreditar é outra. Mas também não falta quem acredite, e, parece, com boas razões.

A fundação foi criada por um certo Angelo Scritori, que morreu em 2002, com alegados 104 anos. Ele recebia os avisos da iminência de desastres naturais do Padre Cícero. Pouco antes de morrer, avisou à praça que seria sucedido pela filha, Adelaide, cujo contato com o outro lado passaria a ser o Cacique Cobra Coral.

Este se comunica com ela falando com sotaque de caboclo brasileiro, embora seja um índio americano Ao avisar sobre a substituição, Padre Cícero informou que o cacique também teria sido, em outras encarnações (se essa é a palavra certa, tratando-se de um espírito), Abraham Lincoln e Galileu Galilei. O leitor não deve ver esse dado com estranheza — até mesmo porque, se é cidadão de pouca fé, francamente, não tem qualquer razão para continuar lendo este artigo.

Mas parece que gente de muita fé não falta. O governo de São Paulo, por exemplo, tem contrato — sem valor financeiro — com a fundação desde 2005. Recebe aviso sobre catástrofes naturais a caminho, com tempo de tomar providências. Se as toma, não se sabe, mas isso não é problema para d. Adelaide.

Ela é bem-sucedida corretora de imóveis, moradora na região próspera dos Jardins de São Paulo. Há algum tempo, definiu com clareza o seu próprio papel como anunciadora de catástrofes: "Funcionamos como uma espécie de air bag. Reduzimos os danos, mas as autoridades têm de fazer a parte delas. O cacique não pode servir de muleta para os homens."

Talvez como prova disso, a fundação já teve convênio com a Prefeitura de São Paulo, mas o rompeu na gestão do prefeito Gilberto Kassab, porque ele acabara com uma verba destinada a combater causas de desastres climáticos.

Seja como for, o prestígio da Cobra Coral vai além de São Paulo. Em novembro de 2008, a Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado aprovou um convite a Adelaide para ir até lá discutir o apagão em 18 estados. Não sei se chegou a ir, não me lembro de notícia disso, mas o convite existiu.

Aqui no Rio, a fundação está discutindo com a Prefeitura a renovação de um convênio — que não envolve qualquer pagamento — pelo qual a fundação profetiza tempestades e assim ajuda a diminuir os seus efeitos. Sendo de graça, por que não ouvir o cacique?

Recista Época
Brasília DF, 17 de Março de 2017

Coluna Expresso C/ Nonato Viegas

Governo de Brasília fecha parceria com fundação esotérica que “promete chuva”

Com risco real de desabastecimento de água em Brasília, o governo do Distrito Federal decidiu, finalmente, fechar parceria com a fundação esotérica que “promete chuva”, a Cacique Cobra Coral. A parceria fora sugerida pelo governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), mas o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), resistia. O acordo, sem ônus para o governo do Distrito Federal, será publicado nos próximos dias no Diário Oficial. Apesar da demora, o representante da entidade, Osmar Santos, diz que ainda dá tempo de ajudar os brasilienses.

Revista Época
Brasilia DF, 09 de Março de 2017

Coluna Expresso c/ Murilo e Donato Viegas

Entidade esotérica critica governo do DF por atraso em obra que garantiria mais água

A Fundação Cobra Coral está preocupada porque a capital federal abrigará o Fórum Mundial da Água no ano que vem
No fim de 2016, preocupado com o baixo nível dos reservatórios de água em Brasília, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, buscou ajuda da Fundação Cacique Cobra Coral (Foto: Reprodução)
A Fundação Cacique Cobra Coral, entidade esotérica contratada por governos e empresas para providenciar chuva ou afastá-la, está preocupada com o cenário hídrico do Distrito Federal, que enfrenta racionamento. O porta-voz da entidade, Osmar Santos, critica o governo local e o federal por causa dos atrasos na obra de uma adutora, que levaria mais água para a região. Ainda assim, diz que, em parceria com empresários locais, vai retomar a “operação”, fazendo uma reavaliação com o governo do Distrito Federal e a área técnico-científica.
Do jeito que está, diz Santos, corre o risco de Brasília passar vergonha no ano que vem, quando a cidade sediará o Fórum Mundial da Água, evento mais importante sobre o tema no cenário internacional.

O Globo
Rio de Janeiro, 05 de Fevereiro de 2017

Prefeito de São Paulo firma parceria com a Fundação Cacique Cobra Coral

Coluna Gente Boa - por Cleo Guimarães

João Doria, prefeito de São Paulo, fechou parceria com a Fundação Cacique Cobra Coral, a entidade esotérica que teria o poder de controlar o clima. O contrato com a prefeitura paulista havia sido firmado na gestão José Serra e finalizado com Gilberto Kassab. A fundação estava de mudanças para a China, mas desistiu porque quer dar uma atenção especial a SP. No entanto, negociou com os chineses de trabalhar à distância.

Folha de São Paulo
Rio de Janeiro, 05 de Outubro de 2016

Editoriais Página 2 C/ Ruy Castro

Vai dar praia?

RIO DE JANEIRO - Um dos motivos para o Rio ter sediado à perfeição tantos grandes empreendimentos nos últimos 15 anos — a conferência da ONU Rio+20, a Jornada Mundial da Juventude (com a presença do papa Francisco), os Jogos Pan-Americanos, boa parte da Copa do Mundo, a Olimpíada, a Paraolimpíada, seis edições do Rock in Rio e 15 gloriosos Réveillons — foi o tempo firme, ensolarado, que banhou a cidade quase todos os dias nesses eventos.

Para alguns, isso era obra da Fundação Cacique Cobra Coral, uma organização dedicada a "interferir em fenômenos naturais", fazendo chover ou, ao contrário, mandando chuvas e trovoadas para longe, segundo a vontade do cliente. Tudo isso a poder de rezas, rituais, muita fé e contratos com os governos interessados. No Rio, essa relação começou em 2001, sob o então prefeito Cesar Maia, e prosseguiu pelas administrações do atual prefeito Eduardo Paes.

A fundação tem sede em Guarulhos (SP). Sua presidente é a médium Adelaide Scritori, que diz incorporar uma entidade umbandista chamada cacique Cobra Coral. O cacique não é infalível. Num dos primeiros dias da Olimpíada, choveu e ventou muito no Rio. Mas, segundo Adelaide, o vento varreu os dejetos da baía de Guanabara e permitiu as competições de vela nos dias seguintes.

Eduardo Paes está de saída, e duvido que o futuro prefeito do Rio, seja Marcelo Crivella ou Marcelo Freixo, vá recorrer ao cacique. Crivella é evangélico, Freixo é marxista — missionários para os quais nada existe fora de suas respectivas bíblias. Resta ver se continuará dando praia no Rio nos próximos quatro anos.

Quanto ao cacique, talvez já prevendo essa dispensa, embarca esta semana para Pequim. Foi contratado pelo governo chinês para reduzir a poluição de suas cidades através de chuvas e ventos. Revolução cultural é isso aí.

O Globo
Rio de Janeiro, 02 de Outubro de 2016

Coluna Gente Boa C/ Cleo Guimaraes

Fundação Cacique Cobra Coral está de mudança para a China

A Fundação Cacique Cobra Coral vai embora do Brasil. A entidade esotérica que afirma controlar o clima e tem contrato com o Ministério de Minas e Energia, o governo do estado e a Prefeitura do Rio, se mudará para a China, onde tentará reduzir a poluição através das chuvas. A médium Adelaide Scritori recebeu proposta de um contrato “irrecusável” e embarca quarta-feira para Shangai. Adelaide diz ter recusado convite semelhante da Austrália, no ano passado.

Revista Istoé
São Paulo, 09 de Abril de 2016

A Semana

O impeachment e a chuva

A votação do impeachment de Dilma Rousseff está afetando as previsões meteorológicas. Segundo a Fundação Cacique Cobra Coral, entidade que oferece serviços a governos e empresas interessados em informações sobre o clima, com a indefinição política no Congresso estão suspensas as operações para recuperação do sistema hídrico nacional e o novo período de estiagem que começa a ser sentido no Sudeste já seria efeito dessa posição. A Fundação se volta para a Bolsa de Mercadorias de Chicago (EUA), onde megaprodutores aguardam, no dia 12, novos boletins climáticos para o cinturão americano da soja. 

Revista Istoé
São Paulo, 17 de Janeiro de 2016

Coluna Ricardo Boechat Com Ronaldo Herdy

Esoterismo Na China

A Fundação Cacique Cobra Coral — entidade que afirma controlar o clima e tem contrato com o Ministério de Minas e Energia, o Estado e Prefeitura do Rio para afastar tempestades ou fazer chover nos reservatórios da hidrelétricas — vai embora do Brasil. A médium Adelaide Scritori, que diz incorporar o cacique, estuda proposta de um grupo chinês para reduzir a poluição por lá através das chuvas. O contrato teria de ser exclusivo e foi considerado “irrecusável”. Inclui uma ajuda de custo de US$ 1 milhão por mês mais despesas fixas. A médium diz que vai “consultar o cacique” já que recusou no ano passado um convite semelhante da Austrália devido à crise hídrica que passava o Brasil.

Portal FCCC
Rio de Janeiro, 31 de Dezembro de 2015

Fundação Cacique Cobra Coral foi convocada para prevenir chuvas do Rio na virada

Direto de Copacabana


31/12/2015
Para evitar que a chuva e o vento atrapalhe a festa de Réveillon do Rio de Janeiro, como ocorreu ontem(30), quando ventos acima de 105 km chegaram provocar o fechamento da ponte Rio Niterói, a prefeitura acionou os serviços da Fundação Cacique Cobra Coral, que trabalha intervindo nos desequilíbrios naturais. O porta-voz da fundação, Osmar Santos, disse que a parceria faz parte de um convênio operacional entre as partes.
De acordo com ele, a operação que está sendo efetuada no Rio de Janeiro tem finalidades que ultrapassam uma virada do ano sem surpresas. Osmar explicou que o grupo vem atuando desde o final de setembro para Antecipar o Período chuvoso na Primavera para levar as chuvas para SP (Vale do Paraíba) e Sul de MG onde estão as nascentes do rio Paraíba do Sul, o Sistema Cantareira e Furnas, que que estavam à beira de um um racionamento de energia e Água por falta de chuvas nas usinas e represas. "Outra região que esta sendo beneficiada é Mariana e o rio Doce, castigados por um desastre ambiental recentemente, comenta.

O porta-voz disse também que às 22h05 desta quarta -feira, o Alerta Rio, da Defesa Civil, cancelou o Estado de Atenção que estava sobre toda a cidade e retomou o Estado de Vigilância. Segundo ele, isso aconteceu porque com a dissipação das chuvas para os mananciais não há mais condição para chuvas intensas. Para madrugada desta quinta-feira (31/12) onde a previsão é de céu nublado passando a parcialmente nublado, sem ocorrência de chuva.

O porta-voz contou ainda que a operação vai servir para minimuzar os efeitos do verão de 2016 "que promete".

"Na natureza, nada se cria, tudo se transforma, mas o que conta são os interesses difusos (coletivos) que através dos governos conveniados estão acima dos individuais, privados", finalizou.

G1 Vale do Paraíba e Região
SP - Vale do Paraíba e Região, 25 de Dezembro de 2015

Bacia do Paraíba do Sul dobra volume de água em um mês

Volume subiu de 8,1% para 16,7% da capacidade em dezembro.

O nível das quatro represas que formam a bacia do Rio Paraíba do Sul estão com o dobro do volume de água no comparativo com o mês passado. Na última quarta-feira (23) as represas operavam com 16,7% da capacidade e, no dia 23 de novembro, registravam 8,1%.
A informação é da Agência Nacional de Águas (ANA). As represas que compõem o reservatório são Santa Branca, Jaguari e Paraibuna, em São Paulo; e Funil, no Rio de Janeiro.
A chuva acumulada na bacia em novembro é de 214,9 milímetros e o previsto para esse mês é de 219,4 milímetros, segundo a Sabesp.
Cantareira
O Sistema Cantareira, que abastece São Paulo e a Grande São Paulo, está próximo de sair do volume morto e voltar ao volume útil. O nível está 1,6% negativo e, há um mês, estava com a capacidade negativa em 10,4%.
Desde julho do ano passado o volume morto está sendo usado no sistema Cantareira. Se continuar chovendo neste ritmo, é provável que o sistema Cantareira saia do colume morto ainda neste ano. A previsão inicial era que o sistema só sairia do volume morto em abril de 2016.

PS: Balanço de primavera:
O Sistema Cantareira teve o dobro de chuva nesta primaveira em relação à mesma estação do ano de 2014, segundo levantamento do G1 feito com base nos dados divulgados diariamente pela Sabesp. A estação, que começou em 23 desetembro, terminou às 2h48 da terça-feira (22). Foi também a primavera com maior volume de água acumulado desde 2009.
O manancial recebeu 527,2 milímetros de chuva no período, maior marca dos últimos seis anos. A precipitação é 100% maior que a do inverno do ano passado, quando choveram 236,1 mm, mas muito menor que a marca de sete anos atrás: 755,9 mm, em 2009.
As chuvas na primavera seguiram o ritmo de precipitações demonstrados no inverno. A estação do frio também foi a mais chuvosa desde 2009.

Revista Glamurama
São Paulo, 01 de Dezembro de 2015

Fundação Cacique Cobra Coral dá data para o fim da crise hídrica

UOL-Glamurama - com Barbara Tavares

Nem só de más notícias vive a presidente Dilma Rousseff. Por intermédio do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, ela tem recebido diariamente informes da Fundação Cacique Cobra Coral, entidade esotérica especializada em fenômenos climáticos, no monitoramento meteorológico e conveniada com o Ministério de Minas e Energia, o governo do Estado do RJ e a Prefeitura do Rio.
Os relatórios apontam uma tendência de elevação nos níveis dos reservatórios do Sudeste antes do verão chegar. Com isso, o governo poderá anunciar em breve a redução nos preços da energia. O informe mais recente diz que, após a antecipação do período chuvoso ainda na primavera, prometido pela entidade em 27 de setembro, mais três poderosos fenômenos voltarão a atuar no Sudeste para ajudar a elevar o nível dos mananciais: Alta da Bolívia, Baixa do Chaco e ZACS (Zona de Convergência do Atlântico Sul).
A região Sudeste vai continuar recebendo um verdadeiro bombardeio de chuva nos próximos dias.

Revista Istoé
São Paulo, 19 de Setembro de 2015

Meteorologia

Boas notícias da Cacique Cobra Coral

Revista Istoé 19/9/15


Nem só de más notícias vive a presidente Dilma Rousseff. Por intermédio do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, ela tem recebido diariamente informes da Fundação Cacique Cobra Coral, especializada no monitoramento meteorológico. Os relatórios apontam a tendência de elevação nos níveis dos reservatórios do Sudeste. Com isso, o governo poderá anunciar em breve a redução nos preços da energia. O informe mais recente diz que, após dois anos, o nível do Rio Paraíba do Sul na cidade de Campos, no Rio de Janeiro, chegou novamente próximo ao normal: está em 5,25 metros, a cota normal é de 5,80 metros. De resto, no Planalto, só trovoadas.

Revista Istoe Dinheiro
São Paulo, 21 de Fevereiro de 2015

Medium se recupera

Coluna Clayton Netz Edicao 904

Os principais gabinetes dos palácios do Planalto, em Brasília, e da Guanabara, no Rio de Janeiro, além de outros endereços nobres do meio empresarial, receberam com alívio os resultados dos exames feitos na semana passada pela médium Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral. Eles confirmam total recuperação do acidente sofrido por ela no início do mês quando vistoriava os efeitos da estiagem na represa de Paraibuna, em São Paulo. O temor geral era de que o susto a tirasse de circulação exatamente no momento em que as águas voltaram a cair sobre os reservatórios do Sudeste, reduzindo riscos de racionamento de água e energia.

O Globo
Rio de Janeiro, 15 de Fevereiro de 2015

Fundação Cacique Cobra Coral não vai intervir para parar de chover

Globo Online Carnaval na Sapucai 2015

RIO - A Fundação Cacique Cobra Coral acaba de informar que não vai intervir para parar de chover na Sapucaí, como fez nos últimos anos. O porta voz da entidade disse que o espírito do cacique vetou qualquer iniciativa de parar chuvas no sudeste porque a prioridade é encher os reservatórios.
NF:
Através da operação Carnaval 2015, Mais chuva para os Mananciais:
A formação de Dois Sistemas de Baixa Pressão próximo a costa do Sudeste vai favorecer ainda mais a formação de nuvens carregadas sobre a divisa de SP e RJ, trazendo mais chuva para os próximos dias em todos os mananciais que abastecem o RJ, SP e MG.
Um sistema frontal atuando entre o litoral do PR e sul de SP e uma Baixa Pressão, sofrerão um Reforço e começarão a se organizar neste domingo, mantendo condições para mais chuva no Sudeste O sistema deverá avançar lentamente durante o Carnaval, reforçando a instabilidade e provocando chuva em todo o oeste e sudoeste paulista, norte do Paraná e toda a faixa leste paulista no decorrer do dia até a divisa do RJ e Sul de MG.

Revista Época
Rio de Janeiro, 13 de Fevereiro de 2015

Aconselhado por espírito indígena, Pezão garante que choverá no Rio

Época Online

Relatório do Cacique Cobra Coral, enviado ao governador do Rio, garante normalização dos reservatórios do Rio até maio; presidente Dilma já foi informada:
Celebrai, povo fluminense: vem água por aí. Abram as torneiras, durmam no chuveiro e caprichem no banho do carro. Está liberado até encher a piscina de plástico azul das crianças. Basta comungar da mesma confiança que o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão. Ele assegura à ÉPOCA, com tranquilidade budista, que racionamento e rodízio são palavras do passado. Cálculos de volume morto e obras na rede de águas são coisas de políticos sem fé. A convicção de Pezão é transcendental: vem dos céus – embora não de São Pedro. Choverá, ora, porque a médium Adelaide Scritori, a pedido de Pezão, consultou o espírito do Cacique Cobra Coral – e o Cacique mandou dizer que a água não tarda e chegará abundante. Quem é Pezão para discutir com o espírito do Cacique?
O último relato do Cacique veio por email – não do além, mas por meio de Adelaide. No documento, enviado no dia 28 de janeiro, garante-se que “tudo o que faltou em dezembro e janeiro virá em fevereiro, março e abril”. O email, que afastou da cabeça do governador qualquer ideia de racionamento, foi repassado em seguida, como de costume, a Dilma Rousseff. “Disse Pezão à ÉPOCA em seu gabinete, no Palácio Guanabara. Pezão leva os conselhos do Cacique a sério.

A médium Adelaide lidera a Fundação Cacique Cobra Coral. Ela afirma incorporar o espírito do Cacique – um meteorologista sobrenatural, com capacidade para segurar uma tempestade aqui, mandar uma chuvinha lá e, graças a esse dom, fazer com que prefeituras e governos contratem a instituição para garantir seus serviços. No relatório que Pezão encaminhou a Dilma há, no entanto, um alerta para a possibilidade de temporais no Rio. Até junho, diz o Cacique, há o risco de chover, em apenas um dia, a quantidade esperada para um mês inteiro. “É preciso ficar alerta para o excesso de precipitação numa mesma localidade, como a zona norte”, avisa a entidade. Preparem a arca de Noé.
Pezão recebe com regularidade os informes que o espírito do Cacique envia à Prefeitura do Rio – o governo do Estado, afirma, não tem contrato com a fundação; a prefeitura, sim. Mas a relação de Pezão com o Cacique é antiga. Vem desde 1997, quando Pezão era prefeito de Piraí, município a 90 quilômetros da capital. “Eu sempre gostei de fazer festas na rua e conversava com eles para ter tempo bom. Chegava o dia da festa, chovia em todos os municípios vizinhos, e Piraí ficava sequinha, sequinha”, contou o governador. Com a prefeitura do Rio, os acordos da entidade mediúnica vêm dos tempos em que Cesar Maia era prefeito, no início de 2001. Eduardo Paes ameaçou romper com a fundação quando tomou posse em seu primeiro mandato, em 2009. Mas as previsões de temporais na noite do réveillon o fizeram rever a decisão. Não choveu e, desde então, além de satélites e outros instrumentos de alta tecnologia, o Rio conta com a expertise do cacique para ajudar nas previsões meteorológicas.
Mesmo sem contrato com o governo do Estado, a Fundação Cacique Cobra Coral parece estar se esforçando para garantir a normalização dos reservatórios. No domingo, dia 8, a médium Adelaide sofreu um acidente de carro na cidade de Paraibuna, em São Paulo. Ela vinha de Minas para o Rio de Janeiro, acompanhando o curso do rio Paraíba do Sul para avaliar, in loco, o nível dos reservatórios. O carro onde estava capotou três vezes e caiu no rio. Adelaide só teve escoriações leves. “Ela estava vendo tudo para informar ao cacique”, disse Pezão, que conecta seu celular para mostrar algumas fotos do acidente. Cair no rio não seria um mau sinal? “Não! Já está tudo certo, vai voltar a chover”, afirmou o confiante governador.
Das amplas janelas do gabinete de Pezão vê-se o jardim, espetacular, reformulado pelo paisagista francês Paul Villon no início do século XX. No meio do jardim, o chafariz de Netuno jorra, voluptuoso, litros e mais litros de água. “Mas é água de reuso”, apressa-se o governador a explicar, ao ouvir a pergunta sobre o desperdício –mesmo com toda a garantia dada pelo cacique de que o Rio está livre de problemas. Mas, pelo sim, pelo não, no dia seguinte o chafariz estava desligado.

NF: As chuvas estão voltando.
A precipitação acumulada de 06 de fevereiro de 2015 até ontem dia 12, foi de 150 mm na cantareira e de 100 mm no vale do paraíba do sul.
Mas eh preciso cuidar das Matas Ciliares, Repor as Margens dos rios, Proteger as Nascentes e Aprender a Lição da Estiagem.

NF II: O Estado do RJ Eh conveniado com a FCCC através da Secretaria Estafual de Obras desde 2010.

NF III: Ao contrário do que manda o bom jornalismo, não fomos procurados nem ouvidos por Época.

Revista Istoe
São Paulo, 01 de Fevereiro de 2015

Istoe Gente C/ Gisele Vitória

Até o cacique

São Paulo pode sofrer uma baixa esotérica na torcida pela chuva. A Fundação Cacique Cobra Coral, que afirma controlar as chuvas, deve ir embora do Brasil. A médium Adelaide Scritori está na Austrália e estuda ficar por lá após proposta de grupo mutinacional de agronegócios para segurar as tempestades na região. Mas e a crise da água no Cantareira? “Começamos uma operação no ano passado, mas o Alckmin nos dispensou dizendo que São Paulo não precisava da fundação. Só pedimos que ele não avançasse nas águas do rio Paraíba do Sul”, diz o porta-voz da entidade, Osmar Santos.

NF: Estamos estudando proposta. O trabalho da FCCC eh Universal. Nenhum valor material será suficientemente forte para sobrepor-se ao cumprimento da missão da FCCC.

NF II: Uma nova operação foi iniciada a Pedido Federal e o Bloqueio atmosférico foi Rompido. Novas intervenções estão em andamento para regularizar o Regime das Chuvas. Estendendo o Verão até Maio para o Brasil Continuar Ligado.

NF III: Somente o cacique Cobra Coral terá a Palavra Final sobre a proposta acima...

Coluna Esplanada C/Leandro Mazzini
Brasília DF, 18 de Janeiro de 2015

SÓ REZA SALVA

UOL Notícias e outros e 28 jornais e 24 portais

SÓ REZA SALVA
Tem gente que acredita, tem gente que não. Na dúvida, os mandatários ficam com a tradição de parcerias que a Fundação Cacique Cobra Coral mantém com o Ministério de Minas e Energia, governos de Estados, prefeitura do Rio e até governos (Venezuela, na Era Chávez) e organizações internacionais. Para quem não conhece, trata-se de um trabalho mediúnico da brasileira Adelaide Scritori, que recebe orientações do Cacique. Faz chover ou não, dependendo do lugar. E dá certo, garantem clientes.
Só não deu em São Paulo, que, segundo a FCCC, não faz o dever de casa. Sim, obviamente, não só a reza forte ajuda, é fundamental ter a ação humana.
Segundo a assessoria, foi dada uma pausa na Operação Ilumina Brasil porque está na mesa do ministro de Minas e Energia Eduardo Braga a minuta de renovação do contrato do governo com a FCCC – em tempo, não remunerado, para todos os casos. Edison Lobão seguiu à risca. José Sarney é cliente desde que presidente da República, quando a médium previu problemas no avião presidencial e ele deixou de viajar. A FAB, depois, comprovara uma peça falha numa turbina. E pelo relato enviado à Coluna, sabem do que falam:
‘Estamos ajudando os Estados do Sudeste a sobreviverem à seca; É dado um ultimato ao (Geraldo) Alckmin (Governador paulista): se prosseguisse com o plano de avançar sobre as águas do (rio) Paraíba do Sul para socorrer o (sistema) Cantareira, a Seca voltaria. O caso ficou sub judice e o STF autorizou tal Aberração ambiental onde vai acontecer o que já ocorre com nosso Velho Chico…(rio São Francisco que sofre com a seca)’, diz a médium, através da assessoria.
‘Como o Estado do Rio e a Prefeitura têm o Registro Hídrico na mão (FCCC) e não querem se indispor com a União, estão pedindo água para o Rio não secar. Ocorre que as águas enviadas para a divisa de SP com o Rio (Serra da Bocaina) onde fica a nascente do Paraíba do Sul começaram a serem retidas pelo Alckmin em SP e não chegam ao rio PB do Sul’.
‘Foi aí que o cacique disse que enquanto o MME e o Planalto não se manifestarem com relação à renovação do convênio (Como sempre isento de ônus financeiro, mas não ambiental) teremos que mudar a estratégia anterior de levar chuvas através da divisa com SP, e elevar as precipitações em Minas Gerais’, disseca com autoridade.
E sentencia: ‘É que as chuvas que provocaram alagamentos em São Paulo e que entraram no rio Paraíba do Sul não vão chegar ao Norte do Estado do Rio nem melhorar o nível do PB do Sul; Todo o volume de água que entrou no rio PB do Sul vai ser contido pelas autoridades de São Paulo para compensar a situação crítica no sistema Cantareira. Este acréscimo de 10cm que houve no PB do Sul, especialmente em Campos, é de águas que chegam de Minas Gerais pelo rio Muriaé. Após subir estes 10cm, o nível está estabilizado e se não voltar a chover em Minas, certamente em seguida, o nível do Paraíba do Sul voltará a recuar’.
Em suma, acreditem ou não na entidade, a incompetência dos gestores públicos de anos traz uma certeza hoje: só reza forte ajudará o Rio e São Paulo contra a seca.

Revista Istoeh
São Paulo, 13 de Janeiro de 2015

A Semana C/ Antonio Carlos Prado

"O prestígio do cacique"

Está na mesa do novo ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, a minuta de renovação de um convênio com a Fundação Cacique Cobra Coral, que diz poder influenciar no ciclo das chuvas. O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e o prefeito da capital, Eduardo Paes, também já fecharam parceria com a fundação. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, tem optado por caminho oposto e não consegue se livrar do fantasma da seca.

Revista Istoe
São Paulo, 10 de Novembro de 2014

Coluna Brasil Confidencial

Um cacique no STF

Estamos Sub Júdice

A Fundação Cacique Cobra Coral vai acompanhar de perto os trabalhos do Supremo Tribunal Federal na quinta-feira 20, quando os ministros vão decidir se aprovam o uso das águas do rio Paraíba do Sul para amenizar a crise em São Paulo. Os trabalhos da médium Adelaide Scritori, que recebe a entidade Cacique Cobra Coral, serão direcionados a partir do veredicto do STF.

NF:
Segundo especialistas ouvidos pela DW Brasil, além de não solucionar a escassez nos reservatórios paulistas, a medida poderá prejudicar o abastecimento na região metropolitana do Rio de Janeiro.
Tudo é possível, mas tem um custo. As autoridades erram ao não fazerem um estudo técnico antes de tomarem uma decisão política", critica o oceanógrafo David Zee, professor da Uerj.
A proposta foi apresentada em março pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.
A bacia do rio Paraíba do Sul banha os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.
"Uma retirada adicional de água trará impactos que serão sentidos com mais força quando houver escassez de chuva", diz Paulo Carneiro, pesquisador do Laboratório de Hidrologia da Coppe/UFRJ. "A segurança hídrica deve diminuir, e a frequência de períodos de seca na bacia, aumentar."
O especialista em recursos hídricos Antônio Carlos Zuffo não acredita que a transposição irá resolver a crise hídrica em São Paulo. O volume do Cantareira continuará descendo, mesmo que em menor intensidade.
"Isso só mostra que houve de fato uma incompetência no planejamento de longo prazo. Não dá para querer sangrar o Paraíba do Sul sem trazer o assunto para o debate amplo, sem colocar as cartas na mesa", diz Carneiro. "São Paulo sabia há mais de duas décadas que era necessário fazer investimentos para evitar uma crise de abastecimento."

G1 Rio - Globo.com
Rio de Janeiro, 20 de Outubro de 2014

Fogo é extinto em Petrópolis, RJ

Regiao Serrana

Todos os focos de incêndio, incluindo os que atingiam o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso), foram extintos em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, no início da tarde desta segunda-feira (20), segundo o comandante do 15º Grupamento de Bombeiro Militar, tenente coronel Edson Ney Curvello. A chuva que caiu na região na noite de domingo (19) e que continua em alguns pontos da cidade, foi fundamental para cessar o fogo que castigou o município durante os últimos 13 dias, queimando uma área total de 5.150 hectares, o equivalente a 51,5 mil metros quadrados.

O Globo
Rio de Janeiro, 17 de Outubro de 2014

Cacique Cobra Coral diz que Alckmin e Dilma ignoraram alerta sobre crise hídrica

Editoria Rio c/ Michele Miranda

Fundação faz previsões meteorológicas positivas para o Rio

RIO — Com um longo histórico de previsões meteorológicas em eventos como Rock in Rio e diversas festas de réveillon cariocas, a Fundação Cobra Coral afirma que alertou, em agosto, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o prefeito da capital, Fernando Haddad, e a presidente Dilma Rousseff sobre a crise da falta de água. De acordo com o porta-voz Osmar Santos, a fundação comandada pela médium Adelaide Scritori, que diz incorporar o espírito do cacique Cobra Coral, capaz de influenciar o clima, eles propuseram uma obra para interligar os reservatórios de água de São Paulo para garantir o abastecimento na Cantareira, mas receberam uma resposta negativa. Sobre o Rio de Janeiro, ele aponta uma perspectiva positiva: “Vai chover a partir de 27 de outubro”.

— Em 30 de agosto alertamos o governo federal e o estado de São Paulo de tal calamidade. Eles disseram que por conta das eleições só pensariam nessa obra em 2015. Não tivemos um apagão ainda por conta da recessão no país, que fez com que as indústrias reduzissem suas produções, o que gerou uma economia de energia — comenta Santos.— José Serra, quando prefeito, fez o contrato conosco. Quando Kassab assumiu, ele decidiu manter, mas não honrou o contrato de que todos os governo conveniados são obrigados a nos enviar relatórios das obras que teriam impacto na natureza. Como São Paulo desviou os recursos das obras contra enchentes para outras prioridades, não enviaram os relatórios, então encerramos o contrato em 2012.
Durante sabatina promovida por O GLOBO nesta quinta-feira, o governador e candidato à reeleição, Luiz Fernando Pezão (PMDB), afirmou que a falta de água será motivo de preocupação no Rio de Janeiro caso não chova em 30 dias. Ele ainda comentou a renovação de contrato com a prefeitura do Rio de Janeiro, prevendo que as chances de chuva aumentam um dia após o segundo turno das eleições.— Na próxima semana, na madrugada de domingo para segunda-feira, já chegará um pouco de umidade no Rio, mas se intensificará mais a partir do dia 27 de outubro. Neste dia vai chover, mas ainda vai ser pouco e ao longo da semana teremos mais resultado. Desde o dia 14 uma operação foi iniciada a pedido da prefeitura do Rio para elevar a umidade na cidade e no estado — comenta Santos. — Dessa forma, apesar do atraso (das chuvas) previstas para agosto, as águas estão a caminho e vão melhorar a partir de 27 de outubro, quando retomaremos o convênio com o Ministério de Minas e Energia, rompido em maio último.

PS: As operações da FCCC tem o apoio financeiro da Tunikito Corretora de Seguros

Revista Istoe Dinheiro
São Paulo, 30 de Agosto de 2014

Coluna Clayton Netz Edicao 880

Energia


Cacique cobra rapidez
Um relatório confidencial foi encaminhado ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ao prefeito da capital, Fernando Haddad, e à presidenta Dilma Rousseff. Elaborado pela Fundação Cacique Cobra Coral, traz notícias nada agradáveis sobre a previsão de chuvas para o próximo trimestre e para o ano de 2015. Fala de atraso no período chuvoso e precipitações irregulares no Centro-Sul. E cobra rapidez na assinatura de convênios que ajudariam a amenizar a situação, mas que estão parados em função do calendário eleitoral.

Revista Istoeh
São Paulo, 29 de Agosto de 2014

Relatório faz alerta sobre chuvas irregulares em 2015

A Semana - por Antonio Carlos Prado e Elaine Ortiz

A seca que atinge São Paulo não parece caminhar para o fim. O prefeito Fernando Haddad, o governador Geraldo Alckmin, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e a presidenta Dilma Rousseff receberam na semana passada um relatório confidencial elaborado pela Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC) que alerta sobre o atraso do período chuvoso e as chuvas irregulares em 2015. O estudo mostra que as temperaturas dos oceanos continuam altas e que já passou da hora de agir. Neste ano, choveu somente 58% da média histórica sobre o sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento de nove milhões de pessoas na região metropolitana.

O Globo
Rio de Janeiro, 11 de Fevereiro de 2014

Coluna Gente Boa - C/Cleo Guimaraes

Dança da chuva

Parceira da prefeitura, a Fundação Cacique Cobra Coral diz ter sido procurada pelo Ministério das Minas e Energia, que precisa da chuva para evitar os apagões. A fundação é comandada por Adelaide Scritori, que afirma incorporar o espírito do Cacique Cobra Coral, entidade capaz de influenciar no clima.

NF: Em 06/4/13 a Revista Dinheiro registrou:

Revista Istoe Dinheiro - 06/04/2013
Edição 808 Coluna Clayton Netz

Energia. Cacique preocupado

A Fundação Cacique Cobra Coral informa: a despeito de seus esforços e devido à falta de contrapartidas do governo, as chuvas de verão não foram suficientes para encher os reservatórios das usinas hidroelétricas brasileiras. Segundo a entidade, março terminou com reservatórios na casa dos 52% no sistema Sudeste/Centro-Oeste e 42% no Nordeste, níveis bem inferiores aos registrados no mesmo período, no ano passado (78% no centro do País e 82% nas bacias nordestinas). Em outras palavras: os preços da energia continuarão elevados.


Revista Istoe
São Paulo, 02 de Fevereiro de 2014

Coluna Ricardo Boechat/Com Ronaldo Herdy

Olimpíada Força extra

A abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, na quinta-feira 6, vai ter participação especial brasileira. Para não chover na hora da cerimônia estará na Rússia a médium Adelaide Scritori, que diz incorporar o espírito do Cacique Cobra Coral. O trabalho de canalizar bons fluidos começou no Brasil há duas semanas. A entidade nacional é parceira do COI desde 2002.

O Globo
Rio de Janeiro,, 07 de Janeiro de 2014

Aí que calor/4

Coluna Gente Boa C/ Cleo Guimaraes

O governo do estado renovou ontem o convênio com a Fundação Cacique Cobra Coral, que teria o poder de controlar o tempo. O primeiro pedido foi: que o sol continue brilhando pelo menos até o final das obras do Arco Metropolitano, auto-estrada que corta a Baixada ligando rodovias importantes como a Dutra e a Rio Santos.

NF: Através da operação acima a FCCC tem ajudado os desabrigados das enchentes no Espírito Santo, atingidos pelas chuvas que passariam pelo Rio.

O Globo
Rio de Janeiro, 31 de Dezembro de 2013

O Globo On line Rio - Plantão C/Luiz Ernesto Magalhaes

Cacique Cobra Coral “protege” réveillon

RIO — A virada do ano em Copacabana tem o reforço de médiuns da Fundação Cacique Coral. A entidade esotérica comandada pela médium Adelaide Scritori decidiu deslocar toda a sua equipe de São Paulo para o Rio num esforço para tentar controlar as condições climáticas e tentar evitar chuva na virada do ano. A equipe acompanha a festa de um hotel na Avenida Atlântica. Adelaide afirma incorporar o espírito do Cacique, que influiria nas condições climáticas. O porta-voz da entidade, Osmar Santos, disse que foi preciso o reforço porque a entidade só teria sido acionada pela prefeitura para atuar no Réveillon, às vésperas do Natal. Na maioria das festas da virada do ano no Rio, Adelaide vem sozinha
Convênio operacional
— Todo ano é a mesma coisa. A prefeitura demorou a enviar o relatório anual dos investimentos que faz na prevenção a enchentes e tragédias naturais como solicitamos em nossa parceria e o contrato chegou a ser suspenso em parte do mês de dezembro. Mas agora está tudo bem — disse Osmar.

Mais cedo, o produtor da festa, Abel Gomes, confirmou que manteve contato com Adelaide já há alguns dias e que contava com a médium para o sucesso da festa. Osmar garante que o trabalho da entidade ajudou a dissipar as nuvens no fim da tarde após chover rapidamente em vários pontos da cidade.

NF: Mesmo com toda a cidade em Estagio de Atenção devido
as chuvas, Copacabana ficou isolado e não choveu lá...
NF II: Uma prova de que um ser Supremo em tudo isso
existe; Deus, a luz maior a perfeição.

O Globo
Rio de Janeiro, 21 de Setembro de 2013

O Globo Online C/Michele Mirands

Em mais uma parceria com o Rock in Rio, Cacique Cobra Coral diz ter afastado chuva do festival

Temos vigente uma parceria internacional com o Rock in Rio desde 2005, comenta representante, que já trabalhou nas edições de Madri e Portugal

RIO - Na última quinta-feira, o site Climatempo assegurava que o Rio de Janeiro receberia chuva ao longo do dia. Ela veio e atingiu o Centro da cidade, a Zona Sul e outras regiões. Já o público da Cidade do Rock viu nuvens negras e pesadas rondarem o Rock in Rio, uns momentos de ventania, mas não passou disso desde a abertura dos portões até os fogos que celebraram o encerramento do show do Metallica. Quando James Hetfield se despediu da multidão, caíram as primeiras gotas de chuva. Ela veio fraquinha, quase como um refresco para acompanhar a volta para casa das 85 mil pessoas que acompanharam o festival. O fenômeno tem explicação (para quem acredita, como a organização do festival): Cacique Cobra Coral.
Esta é a finalidade da parceria diz Osmar Santos, representante da instituição sobre a garantia de dias de sol no Rock in Rio. Porém, a contratação da FCCC (Fundação Cacique Cobra Coral) não é garantia zero de nada. Se ocorrer, terá o mínimo impacto possível. Funcionamos como um airbag. Ele não impede a batida, mas protege e minimiza o impacto. O objetivo é levar chuvas para o interior do sudeste, centro-oeste e nordeste do Brasil, onde não chovia há mais de 100 dias. Ontem(quinta-feira), o Rio foi dividido e feito um bloqueio na Zona Oeste, deixando a chuva apenas na Zona Sul e outras localidades até o encerramento do show.
A contratação da equipe foi confirmada pela produção do evento, enquanto Santos relembra parcerias que ja aconteceram no Rio, Lisboa e Madri.
Temos vigente uma parceria internacional com o Rock in Rio desde 2005 comenta Santos. Mas devido à cláusula de confidencialide não podemos entrar em mais detalhes.

Revista Dinheiro
São Paulo, 20 de Setembro de 2013

Coluna Clayton Netz - Agronegócio

Cacique faz chover nos EUA

A Fundação Cacique Cobra Coral foi convocada a dar um chega pra lá na estiagem que vinha assolando o Meio Oeste dos EUA. E deu: na semana passada, choveu em vários Estados do chamado Corn Belt americano. Em consequência, a cotação da soja fechou com uma queda de mais de 30 pontos na Bolsa de Chicago.

Revista Istoe Gente
São Paulo, 03 de Agosto de 2013

PAPA TEM CACIQUE

Colunas C/ Gisele Vitoria

A Prefeitura do Rio, que retomou o convênio com a Fundação esotérica Cacique Cobra Coral, não queria misturar as estações religiosas na visita do papa. Mas, na última hora, apelou para o cacique espantar as chuvas. No dia 23, a secretaria de Obras, pediu ajuda à médium Adelaide Scritori – que diz receber o espírito do cacique – para zelar por Copacabana entre os dias 25 e 28.

Jornal de Brasilia
Brasilia DF, 23 de Maio de 2013

Coluna Esplanada C/Leandro Mazzini

Da tribuna de honra - Reza forte

Na véspera de a presidente Dilma e toda a imprensa nacional conhecer a arena Pernambuco, o governador Eduardo Campos (PSB) se blindou: anunciou no Domingo o fim do racionamento de água no grande Recife.
Reza forte
Quem revela é a médium: Campos acionou a Fundação Cacique Cobra Coral, de Adelaide Scritori, que faz trabalhos de controle do tempo, para mandar chuva forte. Ela incorpora o cacique e faz trabalhos espirituais a pedidos de políticos há décadas.

Informe FCCC
Recife Pernambuco, 20 de Maio de 2013

Racionamento de água na Grande Recife

FCCC Suspende ajuda iniciada dia 19.03.13 ao Governo de PE

Governo anuncia fim do racionamento de água no Recife, Jaboatão e Cabo de Santo Agostinho

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, anunciou na manhã deste domingo (19) o fim do racionamento de água no Recife, em Jaboatão dos Guararapese no Cabo de Santo Agostinho a partir do meio dia desta segunda-feira (20). A notícia foi dada durante uma coletiva de imprensa, na sede provisória do Governo do Estado, no Centro de Convenções, em Olinda.

Agencia Canal Energia
São Paulo, 04 de Fevereiro de 2013

Risco de racionamento de energia cai pela metade, calcula PSR

Milton Leal, da Agência CanalEnergia, de São Paulo, Operação e Manutenção

A consultoria PSR divulgou nesta segunda-feira, 4 de fevereiro, novas estimativas acerca do risco de o país precisar decretar um racionamento de energia ao final do período úmido, ou seja, depois de abril. Em seu novo Energy Report (o estudo pode ser adquirido aqui), referente ao mês de janeiro, a empresa calculou em 4,3% a possibilidade de o governo precisar tomar alguma medida no sentido de restringir o consumo de energia elétrica. No início de janeiro, a equipe técnica de Mário Veiga, presidente da companhia, estimou o risco em 9%.
Para fazer a avaliação, a PSR utilizou os dados do Programa Mensal da Operação (PMO) de fevereiro, elaborado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico. Neste documento, as previsões da Energia Natural Afluente (ENA) para o segundo mês do ano estão maiores do que aquelas verificadas em janeiro. Esse parâmetro contribuiu bastante para a redução da probabilidade de racionamento. O operador espera que a ENA no Sudeste atinja 93% da Média de Longo de Termo (MLT) em fevereiro. No Nordeste, a expectativa é de 70% da MLT. Em janeiro, no Sudeste, a ENA ficou em 82% da MLT, enquanto que no Nordeste o índice atingiu 33%.

Revista Istoe Gente
São Paulo, 13 de Janeiro de 2013

C/ Gisele Vitoria

Cacique Cobra Coral - Racionamento

Ativada força-tarefa espiritual antiapagão: a Fundação Cacique Cobra Coral enviou na sexta-feira 11 ao Ministério de Minas e Energia e ao Planalto um relatório da médium Adelaide Scritori com previsões meteorológicas para os próximos 90 dias. A intenção é que o espírito do Cacique ajude a fazer chover para aumentar o volume dos reservatórios do País.

Segundo a fundação, no racionamento de energia em 2001, o governo FHC já havia recorrido aos serviços da médium Adelaide. “Passados 11 anos, o governo não fez a lição de casa. Em 2009, mandamos alerta ao governo sobre risco de racionamento a partir de 2011. Insistimos na necessidade de conclusão de um linhão interligando o Sul ao Sudeste”, diz a médium.

NF: "Nao podemos ajudar os homens de maneira permanente se fizermos por Eles aquilo que Eles podem e devem fazer por si próprio " CCC.

Revista Dinheiro
São Paulo, 12 de Janeiro de 2013

Coluna Moeda Forte

Cobra Coral - Energia

Decidida a ajudar na prevenção de um eventual racionamento de energia, neste ano, a Fundação Cacique Cobra Coral exige contrapartidas: quer que o governo federal faça a sua parte, investindo na execução de obras importantes na área de transmissão.

NF: No governo FHC a FCCC foi convocada em Maio de 2001 pelo Planalto, em pleno período Seco para elevar o nível dos reservatório em "Troca" da construção de um Linhao de Transmissão interligando o Sul ao Sudeste. A FCCC fez a sua parte o governo Nao.

NF II: Em 20.11.2009 Alertamos para uma nova estiagem a partir de 2011, trazendo nova instabilidade no setor elétrico. Ninguém fez Nada, prometem fazer Agora...

NF III: "Nao podemos ajudar os homens de maneira permanente se fizermos por Eles aquilo que Eles Podem e Devem e
fazer por si Próprio" CCC.

NF IV: As operações da FCCC tem o Apoio Financeiro das Empresas Tunikito - Tunikito Corretora de Seguros.

Revista Isto Eh
São Paulo, 06 de Janeiro de 2013

Coluna Brasil Confidencial

A conta do cacique

Após ter trabalhado para afastar as chuvas do Rio de Janeiro durante a noite do Réveillon, a Fundação Cacique Cobra Coral apresentou-se para tentar dissipar a frente fria responsável pelas enchentes e deslizamentos ocorridos na última semana em cidades da região metropolitana. Como contrapartida, encaminhou ao governador Sérgio Cabral um duro pedido. Em ofício, o Cacique Cobra Coral pede que seja acionado um “remédio jurídico” a fim de que o MP peça a prisão preventiva dos ex-prefeitos responsáveis pela tragédia anunciada em Caxias e que “poderia ser minimizada”, não fosse o descaso daqueles que, não reeleitos, deixaram uma “armadilha em forma de lixo” para atingir a população.

Jornal de Brasilia
Brasília DF, 15 de Dezembro de 2012

Coluna Esplanada C/ Leandro Mazzini

Cacique na final

Nevar, não neva, nem terremoto ou tsunami, garante a médium Adelaide Scritori, que incorpora o espírito do Cacique Cobra Coral. Consultora da Fifa para assuntos, digamos, paranormais, ela foi convocada para o Japão para trabalhar o tempo. No campo, a bola está com o Corinthians.

NF: Na final, as temperaturas durante o dia subiram para 17 graus e a noite permaneceram em 09 e Nao nevou como estava Previsto...

Revista Istoe
São Paulo, 11 de Novembro de 2012

CARTAS - ERRATA

ESCLARECIMENTOS

A Fundação Cacique Cobra Coral atuou, nos EUA contra o furacão Irene, em 2011, e não em relação ao Katrina, como noticiado na ultima semana. "Cobra Coral e o furacão Sandy".
(ISTOE 2243).

Revista Istoe
São Paulo, 02 de Novembro de 2012

A Semana. - Errata

Cobra Coral e o furacão Sandy

"Cobra Coral e o furacão Sandy"
por Antonio Carlos Prado e Laura Daudén

A Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC), uma das organizações mais atuantes no Brasil na defesa do meio ambiente e da sustentabilidade, deu início a uma série de procedimentos de emergência para tentar atenuar os devastadores efeitos do furacão Sandy nos EUA.
Segundo a fundação, ela atuou a pedido de uma grande seguradora de Nova York. Igual atuação teve a FCCC contra a catástrofe natural causada em 2005 pelo Katrina.

NF: Onde esta escrito 2005 Katrina, leia-se: Irene 2011
conforme nota abaixo da Istoe de 2011.

NF II: A FCCC não foi acionada em 2005 no furacão
Katrina.

Copia do Irene em 2011


Revista Istoe Dinheiro - Coluna Moeda Forte 02.09.2011

A médium Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral,(FCCC), diz ter sido chamada por uma seguradora americana e outra da União Europeia (UE) para dar ajuda astral e diminuir a fúria do furacão Irene, que ameaçava Nova York com ventos de 170 km/h.

Adelaide comemora: contrariando as previsões meteorológicas, o furacão chegou à Big Apple transformado em tempestade tropical. Mas avisa: o Irene voltará à carga

Super Interessante
São Paulo, 24 de Agosto de 2012

Superinteressante -- Blog Super Interessante

Maior médium do Brasil

O Blog super interessante trata muitos sujeitos de ciência mas também de sujeitos espirituais, sempre discernindo as noticias com nenhum preconceito a nenhum assunto, basta que ele seja superinteressante.

Como o ultimo artigo foi sobre o Chico Xavier, e sempre falamos nele aqui no blog com suas frases e versos motivacionais ou espirituais. Infelizmente ele que foi um guia espiritual e continua sendo por seus feitos e obras não esta mais nesse mundo. O sujeito que gostaria de fazer seria de saber se existiria alguém que teria um dom tão poderoso como ele teve.

Se devemos falar de alguém tão conceituado como ele foi tão respeitado como ele foi e se devemos falar de alguém que melhor une a Ciência e a espiritualidade essa pessoa seria a Médium Adelaide Scritori.

Alguém aqui ja deve ter ouvido falar dela, mas muitos a desconhecem ela é muito discreta pois seus dons são diferentes daquele de Chico xavier.

Esse artigo não é nenhuma comparação entre os dois sobre os poderes que cada um possuia, mas sim uma apresentação de uma médium que adquiriu uma notoriedade internacional de muito respeito com poderes que pouco podemos imaginar que existiria.

Adelaide Scritori é uma médium com capacidade de prever catástrofes e ter o controle sobre o tempo. Ela é conhecida como senhora do tempo.

Assim como Chico Xavier que tinha um guia espiritual ela recebe o guia Cacique Cobra coral, alias ela é a presidente da FCCC (fundação cacique cobra coral).

Isso mesmo ela tem a capacidade de controlar o tempo quase como o personagem tempestade do X-men, mas ela não voa...


Brincadeiras a parte o poder dela é muito respeitado ela é contratada por grandes empresas e grandes politicos mundiais para intervir no tempo em certas circunstâncias. Por exemplo a Formula 1 e a formula indy sempre contrata ela em alguns grande premios para evitar que a chiva chegue no circuito de formula 1. Ela usando artifícios científicos pois sua fundação recorre a recursos científicos para identificar o que é preciso para evitar que a chuva chegue no local, como diminuir ou aumentar a umidade do tempo, reduzir os vento etc.

Com isso ela consegue isolar o local para atrasar a chegada da chuva ou impedir sua chegada. Assim como aconteceu em Mônaco essa enquanto os monitores de previsão do tempo dava a chegada da chuva como iminente ele conseguiu atrasar de maneira inexplicável. A cada previsão a chegada era para 3 minutos depois 4 minutos, depois 5 e o tempo passava e nada da chuva chegar. Foi so a corrida terminar para começar o temporal. 

Adelaide Scritori também foi contratada pelo presidente Jacques Rogge Comitê Olímpico internacional para a a cerimônia de abertura e de encerramento das olimpíadas. Na Inglaterra conhecida pós suas chuvas frequentes foi poupada da chuva durante essas cerimônias.

Ela começou conquistar o voto de confiança das personalidade mundias quando nos anos 80 em Londres a primeira dama Margareth Tatcher contratou a fundação para combater o frio que estava caindo sobre londres, com temperaturas recordes negativas de -29°C, ela conseguiu elevar a temperatura em algumas horas de 29°C e foi ovacionada pela imprensa inglesa.
"Poderes que a ciência não explica, mas que os fatos comprovam" diziam eles.

Ela chegou até ajudar o ditador Saddam Hussein a atrasar a guerra um ataque da OTAN, ele pediu ajuda para ela enviar uma chuva na região da servia para  atrasar uma ataque.

Personalidades do mundo inteiro pedem ajuda a fundação FCCC de Adelaide Scritori, pessoas como o ex primeiro ministro Tony Blair, Jacques Rogge, e muitos politicos brasileiros, até eventos como o Rock in Rion ou fazendeiros para salvar suas plantações.

Por exemplo Cesar Maia fez um contrato de proteção com a fundação e asism ela divulgou que ja pode evitar chuvas torrenciais que trariam catastrofes para a cidade do Rio de Janeiro e São Paulo, muitas vezes as desviando. Ela ajudou nas enchentes de Santa Catarina entre outras a calmar o tempo.

Além de controlar o tempo ela prvê também grandes catastrofes, e assim no mês de agosto 2001 ela enviou uma carta para casa Branca prevendo os ataques de 11 de setembro. George Bush alias enviou uma equipe de investigação a casa de Adelaide procurando saber como ela soube e para investigar se havia um envolvimento com o Al Qaida.

Adelaide Scritori : "Minha missão é minimizar catástrofes que podem ocorrer em razão dos desequilíbrios provocados pelo homem na natureza", diz.

Esse poder de controlar o tempo parece absurdo antes de conhecer o trabalho dela nunca tinha ouvido falar, somente no folclore brasileiro com as danças da chuva ou do Sol dos índios o que poderia explicar alias o espirito do cacique cobra coral.

Explicação alias sempre nos sempre precisamos disso para acreditar nas coisas, mas assim como na justiça onde o presumo de inocência existe até que seja provado o contrario, o poder de Adelaide não pode ser provado mas também não pode ser explicado e a ciência ainda esta muito mas muito longe de tudo explicar na vida. A verdade anda do lado dela pois a ciência nunca provou que a mentira diante de fatos como em Londres, como em Mônaco, como em 2001 ou muitos outros com sua intervenção a ciência não pode explica-la. 

Um artigo sobre a maior médium brasileira seria muito vasto, pude aqui apresentar em algumas palavras a obra dela e o respieto que o mundo tem com ela. Talvez ela alcence o reconhecimento por essa dedicação sem pedir nada em troca.

Se quiserem saber mais conselho o excelente artigo que a revista Warm up fez sobre Adelaide Scritori : O site da fundação FCCC e seus artigos, Grande premio - Revista Warm Up, um pequeno artigo da veja sobre Adelaide Scritori,reportagem da Globo sobre a Medium Scritori

Blog do Marcelo Tas - CQC
Direto de Londres - UK, 28 de Julho de 2012

Olimpiadas 2012

Cacique Cobra Coral: Medalha de Ouro na Abertura

Não é novidade para alguns a atuação da Fundação Cacique Cobra Coral, fundada pela medium brasileiraAdelaide Scritori, na prevenção de chuvas e tempestades durante eventos como Carnaval, nas edições do Rock in Rio pela Europa, na visita ao Brasil de Barack Obama ou a recente edição da Formula Indy, em São Paulo.
Este blog conversou com Osmar Santos, marido de Adelaide e porta-voz da Fundação, sobre a notícia de que eles teriam vindo a Londres, a convite da organização da Olimpíada, para travar um duelo com o tradicional mau tempo da capital britânica na cerimônia de abertura.
Por telefone, da sala de embarque de Heathrow, de onde retornou esta noite para São Paulo, Osmar confirmou e deu detalhes da "operação", como ele mesmo denomina a atuação do espírito do Cacique. Por conta da instabilidade meteorológica na ilha da Rainha, ambos chegaram å Londres com antecedência- no dia 7 de Julho- para iniciar os trabalhos.
Durante a o dia de ontem, na cerimônia de abertura, Adelaide ficou em Dublin, na Irlanda, de onde garantiu que as ondas de pressão que entravam pelo Norte da ilha fossem desviadas para a Espanha, com a intenção de abrandar a seca daquela região no momento. Enquanto isso, de dentro do estádio, Osmar enviava informações em tempo real da situação em Londres.
Na cerimônia de ontem, ocorreram alguns pinguinhos de chuva antes do início e nenhuma mísera gota durante as mais de tres horas do espetáculo dirigido por Daniel Boyle, que teve cenas que teriam sido bem complicadas de se realizar na chuva como o salto de paraquedas da Rainha (interpretada por um dublê, evidentemente) de um helicóptero que sobrevoava o estádio.
Para quem quiser saber, Osmar garante bom tempo- sem grandes chuvas prolongadas- até o final da Olimpíada. Para isso, ele e sua esposa voltam à capital britância antes da cerimônia de encerramento. A Fundação não recebe dinheiro pela atuação do Cacique, mas exige contra partidas ambientais das insituições que colabora.
Quanto a fenômenos desconhecidos da ciencia dos homens, este blogueiro segue rigosamente o  ditado espanhol: “No creo en brujas, pero que las hay, las hay”. A Rainha deveria dar uma medalha de ouro para o Cacique!

O Globo
Direto de Londres UK, 26 de Julho de 2012

Olimpiadas 2012

Abertura dos Jogos de Londres terá ajuda espiritual brasileira

A cerimonia de abertura dos Jogos Olímpicos de Londres contará com uma ajuda espiritual Importada do Brasil para garantir que o clima não atrapalhe a festa. Apesar da previsão de mau tempo em Londres nesta sexta-feira, a medium brasileira Adelaide Scritori, que diz incorporar o espírito Cacique Cobra Coral, está na capital inglesa para assegurar espiritualmente o sucesso do evento, evitando chuva na hora do evento, que começará as 21h (17h no horário de Brasília).
Segundo o assessor da Fundação Cacique Cobra Coral, Osmar Santos, Adelaide vem trabalhando com esse objetivo desde o início do mês. O GLOBO encontrou Osmar Santos na Casa Brasil, na mesma cerimônia em que estavam o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jaques Rogge, a presidente Dilma Roussef e o governador Sergio Cabral. Osmar Santos portava uma credencial olímpica e foi um dos poucos que puderam se aproximar de Dilma quando ela deixava o local.
A Fundação Cacique Cobra Coral é conhecida dos cariocas por sua participação em alguns importantes eventos da cidade. Em 2007, Adelaide Scritori foi requisitada pela prefeitura do Rio de Janeiro para garantir bom tempo durante a abertura dos Jogos Pan-Americanos. No fim daquele ano, a médium foi chamada novamente pela prefeitura para evitar que a chuva atrapalhasse a queima de fogos na Praia de Copacabana.

Revista Istoe Dinheiro
São Paulo, 23 de Julho de 2012

Coluna Moeda Forte

Olimpiadas 2012 - Atleta do tempo

A previsão de chuvas na Olimpíada de Londres fez com que fosse lançado um S.O.S para a médium Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral. Saudada pela imprensa como “a atleta do tempo”, Adelaide promete isolar o Reino Unido das tempestades que atingem a Europa com seu grande guarda-chuva mediúnico.

NF: A FCCC vai aproveitar o evento das Olimpiadas para
Ajudar os demais países da Europa que sofrem com
Enchentes ou Secas, Redistribuindo as chuvas.

Portal Terra
Londres UK, 20 de Julho de 2012

Olimpiadas 2012 Clima

Clima de verão chega a Londres na véspera da Olimpíada

Contrariando as previsoes, as vésperas do início dos Jogos Olímpicos, Londres enfim deverá ter dias de sol e calor. A previsão para o resto desta semana é de temperatura girando em torno dos 28ºC e sem chuvas.
Segundo especialistas em meteorologia, o clima deve permanecer quente e sem precipitações durante a Olimpíada, o que deve facilitar o andamento das partidas de tênis e de algumas provas do atletismo, que são suspensas em caso de chuva.
A Agência Ambiental Britânica, que esteve muito ocupada na semana passada lidando com enchentes, tem no momento 20 alertas de inundações, mas nenhuma emergência.
Algumas delegações evitaram fazer aclimatação em Londres, que é conhecida pelo seu tempo nublado e chuvoso. A seleção britânica de futebol, por exemplo, ficou treinando uma semana na cidade espanhola de Marbella para fugir das baixas temperaturas.

O Globo
Rio de Janeiro, 19 de Julho de 2012

Coluna Gente Boa C/ Cleo Guimarães

Cacique ‘in London’

A médium Adelaide Scritori, que incorpora o espírito do Cacique Cobra Coral e teria o poder de controlar o clima, embarcou para Londres com a tarefa de garantir tempo bom nas Olimpíadas. Ela presta serviços à Inglaterra desde Margaret Tatcher.

Correio da Manha
Lisboa - Portugal, 08 de Julho de 2012

Por:Paulo Madeira com agências

Tempestades: Mais de uma centena de vítimas

Chuva torrencial mata na Europa
Uma vaga de mau tempo varreu o Sul da Rússia na madrugada de ontem, causando a morte a pelo menos 105 pessoas. Violentas tempestades estão também a atingir outros países da Europa, incluindo a Alemanha, a Polónia, a Suíça e o Reino Unido. 
Chuvas torrenciais, que provocaram gigantescos deslizamentos de terras, fustigaram a região russa de Krasnodar, junto ao Mar Negro. Segundo as autoridades, as cheias – as mais graves dos últimos setenta anos – mataram 105 pessoas, sobretudo no distrito de Krymsk, o mais afectado, onde as equipas de socorro recolheram ontem 88 cadáveres. A maioria das vítimas estava a dormir – e muitas foram arrastadas pelas enxurradas de lama.
Milhares, apanhados de surpresa pela força das águas, tiveram de ser retirados, e o estado de emergência foi declarado na região, onde 22 mil habitantes estavam ontem sem energia.
O mau tempo faz-se ainda sentir noutras regiões europeias. No Leste da Alemanha, tempestades eléctricas mataram pelo menos duas pessoas, incluindo uma menina de nove anos, atingida por um raio, e um jovem de 23 anos, cujo carro foi esmagado por uma árvore. Mais 17 pessoas ficaram feridas.
Chuvas torrenciais e inundações fustigam ainda a Polónia, Suíça e Reino Unido.

Jornal do Commercio
Rio de Janeiro, 26 de Junho de 2012

Coluna Marcia Peltier - C/ Marcia Bahia

Missao cumprida

A medium Adelaide Scritori só voltou para São Paulo, ontem, depois da partida de todas as autoridades que vieram para a Rio+20. Com a ajuda do Cacique Cobra Coral, ela afirma ter mandado para o Sul e para São Paulo, segunda-feira, dia 18, a frente fria que estava a caminho e que só chegou ao Rio na madrugada de sexta. Mas, por via das dúvidas, Adelaide cancelou sua ida ao GP de F1 de Valência, na Espanha, neste domingo, para dar conta da tarefa até o fim. No próximo sábado, ela já estará em Madri, cuidando do clima no Rock in Rio.

O Globo
Rio de Janeiro, 14 de Junho de 2012

Coluna Gente Boa - Com Fernanda Pontes

Sol urgente

A médium Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral, está no Rio para tentar garantir tempo bom durante a Rio+20. Adelaide, que estava em Toronto, veio às pressas para a cidade a convite do prefeito Eduardo Paes. Montou QG na Barra e em Copacabana, perto do Forte.

Jornal Pequeno
São Luis MA, 12 de Janeiro de 2012

... E o tempo

Coluna Esplianada c/ Leandro Mazzini

Conhecida por suas ações mediunicas Pelo Cacique Cobra Coral, de mudanças e controle do tempo, a médium Adelaide Scritori avisou que trabalha
para tirar as chuvas do Sudeste e levar para a Região Sul. Hoje esta em Sao Luis(MA).

Revista IstoE
São Paulo, 08 de Janeiro de 2012

Coluna Brasil Confidencial

Seca no Sul


* A médium Adelaide Scritori trabalha desde o dia 7 para levar as chuvas do Sudeste para o Sul, Norte e Nordeste, que sofrem com a estiagem. Para isso, ela conta com a entidade Cacique Cobra Coral, que teria influência sobre o clima.

NF: Ao inves de Dissipar a ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul), a FCCC optou por redistribuir a Umidade para o Norte/Nordeste e Retroceder o fenômeno de MG e Rio para o Sul, descendo por SP e Paraná,
O que torna a operação mais Lenta e Difícil. Porém,
Beneficiando milhões de pessoas que Carecem dessa Água Divina...

O Globo
Rio de Janeiro, 01 de Janeiro de 2012

Editoria Grabde Rio C/Luiz Ernesto Magalhães

Rajadas de ventos dificultaram o deslocamento das 11 balsas


Chuva só estiou 35 minutos antes do início da contagem regressiva 01/01/2012 - 00h00 | O Globo

RIO - Não houve reza que conseguisse conter os céus, e os dois milhões de convidados do réveillon de Copacabana tiveram que aguardar a contagem regressiva debaixo dágua mesmo. A chuva, que começou a cair por volta das 19h, apertou a partir de 21h, assustando o público, que só retornou para a areia com a estiagem, às 23h25m. Assim, no lugar dos tradicionais trajes brancos, as capas coloridas invadiram as ruas, mudando o figurino oficial da festa.

Pelo quarto ano consecutivo, o mau tempo causou apreensão no último dia do ano e, desta vez, a chuva não deu trégua. A preocupação maior dos organizadores ontem, no entanto, não era com a água, mas com o vento. Rajadas de até 52km/h dificultaram o deslocamento e até mesmo o alinhamento das 11 balsas, ameaçando a queima de fogos.

Cobra Coral trabalhou só para segurar o vento:

Convocada pela prefeitura para tentar garantir o tempo bom na virada do ano, a Fundação Cacique Cobra Coral garante que não falhou. O porta-voz da entidade, Osmar Santos, disse que no início da noite a médium Adelaide Scritori, que afirma incorporar o espírito do cacique Cobra Coral capaz de controlar o tempo foi procurada pelo alto escalão da prefeitura com outra missão.

O vento passou a ser prioridade. O importante era garantir a queima de fogos. Dona Adelaide foi levada do hotel onde ficamos em Copacabana até as balsas. Fez seu trabalho para controlar a situação e retornou à terra firme disse Osmar.

O Globo
Rio de Janeiro, 28 de Dezembro de 2011

Editoria Grande Rio C/Luiz Ernesto Magalhães

Reveillon Rio

Nesta quarta-fera, os preparativos para a festa ganham contornos sobrenaturais. Chamada pela prefeitura, a médium Adelaide Scritori - que afirma incorporar o espírito do Cacique Cobra Coral e se diz capaz de controlar o tempo - chega ao Rio, dois dias antes do previsto. O assessor de Adelaide, Osmar Santos, explicou que mais uma vez o objetivo é garantir que não chova no momento da queima de fogos. Osmar conta que, a fim de colaborar com a festa do Rio, a médium recusou um convite do escritor Paulo Coelho para passar a virada do ano em Genebra, na Suíça.

- A operação Réveillon Rio também se propõe a aumentar as chuvas no Sul do Brasil e na Argentina e reduzir a seca em Rondônia e no Amapá - explicou Osmar.

Na noite da segunda-feira, numa espécie de pré-aquecimento da virada do ano, uma empresa projetou com raio laser 400 mensagens de boas festas na murada do Forte do Leme enviadas por brasileiros e estrangeiros.

Portal FCCC
Sao Paulo,, 06 de Outubro de 2011

Informe FCCC

Laudo do encerramento da operação Rock In Rio 2011

   CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS NO RIO DE JANEIRO EM 02-03/10/11
                                          Relatório de Rubens J. Villela
 
 
    Mais uma vez, como no fim de semana anterior, acompanhamos em detalhe a evolução do tempo na área de RJ, como parte de nossos serviços prestados a Construtora de grande obra de infraestrutura na baía de Sepetiba, e também, a título de colaboração especial, à Fundação Cacique Cobra Coral. O decorrer dos acontecimentos e suas surpreendentes peculiaridades observadas no domingo dia 2 e subseqüente madrugada de segunda-feira dia 3, pode ser acompanhado pelos boletins enviados periodicamente à FCCC. O aspecto surpreendente prende-se ao fato das previsões numéricas virem anunciando chuvas de moderada a forte intensidade, associadas à chegada de uma frente fria, a começar em torno das 18 horas do domingo, devendo acumular até 31 mm no período.
  Entretanto, durante a tarde do domingo, a frente fria “inexplicavelmente” deteve-se praticamente à porta de entrada da área, a oeste da cidade. Embora apresentando aspecto ameaçador nas imagens de satélite (veja exemplar anexo), prometendo precipitações intensas e iminentes, estas só começaram a partir das 02 horas da madrugada. Também surpreenderam o comportamento do vento (constante e suave) e o deslocamento das áreas de chuva detectadas pelo radar do Pico do Couto, no sentido de terra para o mar.
    Para melhor documentar o desenrolar dos fatos meteorológicos, reproduzimos parcialmente a seguir os boletins informativos enviados por e-mail à FCCC  no domingo, dia 02/10/11:
  10 horas. O grosso da frente fria está na fronteira SP/PR; à retaguarda, no RGS, o céu já limpou, há chuvas frontais também no oeste de SP. As previsões numéricas dão chuva moderada a forte no Rio, das 18 h à meia-noite totalizando 31 mm. A parte mais avançada da nebulosidade frontal já alcança quase RJ.
  14h30. Uma “língua” de ar frio (raso) entra na parte Sul do estado de RJ com vento SW de 30 a 40 kmh. Mas a zona de precipitação fica muito atrás, praticamente estacionada na divisa PR/SP. A maior parte da precipitação frontal está no mar.
  18 horas. Nuvens  baixas e médias encobrem os aeroportos de RJ, a parte mais avançada da frente fria começou a entrar em RJ pelo Oeste, ocorre Trovoada em Taubaté e Chuva em S. Paulo. Na base de Santa Cruz às 18h o vento é de SSE a 16 kmh, temperatura 21°; em Jacarepaguá, vento SW 5 kmh e temperatura 23° (ambos sem chuva).
  19h25. Nota sobre ecos de radar: as chuvas vêm se deslocando de SW para NE, portanto deveriam ser desviadas no rumo NW para SE para evitar chover sobre RJ.
  22h30. A frente fria está imobilizada na porta de entrada da área metropolitana no oeste do Rio de Janeiro, há algumas horas. É o que indicam as observações dos aeroportos e da estação automática do INMET da Marambaia, junto com as imagens de satélite e de radar. O vento sopra constante e suavemente de SW e a frente não anda! Enquanto isso a chuva cai incessante sobre São Paulo.
    Em conclusão, podemos afirmar que verificou-se no Rio de Janeiro no período considerado, uma situação meteorológica fenomenal e “inexplicável”, que do ponto de vista técnico merece registro especial, pois contraria todas as previsões, e mesmo a lógica da natureza, visto que se a frente fria tivesse se deslocado como esperado, chuvas fortes teriam começado  já durante a tarde do dia, muito antes do ocorrido. Na verdade, na nossa vivência, constitui-se este num dos casos mais evidentes da eficácia das intervenções de forças “espirituais” sobre os fenômenos atmosféricos, ainda que desconheçamos sua Explicação cientifica.

       São Paulo, 6 de outubro de 2011.
                                                                       
Prof. Dr. Rubens Junqueira Villela
   

Portal IG
Rio de Janeiro, 23 de Setembro de 2011

Rock In Rio

Roberta Medina, do Rock in Rio: "A dança do Cacique é poderosa"

Produtora do festival comemora erro nas previsões de chuva e agradece ao pai pela contratação de entidade esotérica

Roberta Medina, produtora do Rock in Rio
Dotados do disputado broche “Eu fiz” em vez do vendido nas lojinhas de produtos licenciados “Eu vou”, os integrantes do clã Medina circulam no meio dos mortais que, ao atravessarem a entrada da Cidade do Rock, se apressam em direção ao miolo do curral do palco Mundo, onde acontecerão os principais shows do Rock in Rio.
Apesar de reconhecer que alguns ajustes ainda são necessários na organização da entrada dos fãs, Roberta Medina, produtora do festival, comemora a superstição do pai, Roberto, que contratou a Fundação Cacique Cobra Coral para combater a previsão de chuva no Rio de Janeiro para sexta e sábado.
Com sol de rachar refletindo na sua blusa de lantejoulas, Roberta brincou:
“Durante toda essa semana, todos os sites fizeram previsões de chuva. Não pode reclamar do cacique. A dança dele é poderosa, deu certo”.
Em seguida, falando sobre assuntos que independem da vontade de São Pedro, a produtora responsável pelo Rock in Rio admitiu falhas de organização, segundo ela normais para as primeiras horas após a abertura de portões.

O Estado de S. Paulo
Sao Paulo,, 07 de Setembro de 2011

Coluna Direto da Fonte-Sonia Racy-C/ Paula Bonelli

Reii em Israel

Rei em Israel

Roberto Carlos bateu o martelo. Vai mesmo cantar Jerusalém de Ouro em hebraico, hoje, no anfiteatro Sultan"s Pool. O Rei ficou mais seguro quanto à letra, que vem treinando com a ajuda de um tradutor, e também com o clima na cidade sagrada. A música era dúvida, porque poderia ferir suscetibilidades dos dois lados no conflito israelo-palestino.

O cantor está em ritmo de pura concentração. Só deixou o quarto para as gravações do especial da Globo e para encontros e eventos costurados por seu empresário, Dody Sirena.

E até a Fundação Cacique Cobra Coral, famosa por "domesticar" o tempo, está na sequíssima Jerusalém para o show de Roberto Carlos. Adelaide Scritori e Osmar Santos vieram de Zurique, onde prestam serviço para uma empresa de esqui desesperada com o degelo nos Alpes suíços.

Jornal O Globo
Jerusalem - Israel, 05 de Setembro de 2011

Coluna Gente Boa 2/0 Caderno

Cacique em Israel

Chega hoje a Israel, para o show de Roberto Carlos, a médium Adelaide Santori, da Fundação Cobra Coral, que teria poderes sobre os humores do clima. O deserto de Jerusalém está seco, mas nunca se sabe. Em 2009, o show de RC no Maracanã, sem Cobra Coral, foi embaixo de dilúvio.

Aliás e a propósito

Dizem que em 1991, na Guerra do Golfo, Cobra Coral foi contratada pelo governo israelense para fazer chover e, interferindo no vento, mudar a direção da areia do deserto e desestabilizar os mísseis adversários.

Revista Istoe Dinheiro
Sao Paulo,, 02 de Setembro de 2011

Coluna Moeda Forte

Furacao Irene

A médium Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral,(FCCC), diz ter sido chamada por uma seguradora americana e outra da União  Europeia (UE) para dar ajuda astral e diminuir a fúria do furacão  Irene, que ameaçava Nova York com ventos de 170 km/h.
 
Adelaide comemora: contrariando as previsões meteorológicas, o furacão chegou  à Big Apple transformado em tempestade tropical. Mas avisa: o Irene voltará à carga.

http://www.istoedinheiro.com.br/ 
 

Jornal do Commercio
Rio de Janeiro,, 29 de Abril de 2011

Coluna Marcia Peltier C/ Marcia Bahia

O sol como presente

Um dos melhores presentes do casal real poderá ser dado por uma brasileira. É que desde esta quinta a médium Adelaide Scritori se encontra em Londres, para tentar evitar a chuva prevista pelos meteorologistas para esta sexta-feira. A Fundação Cacique Cobra Coral é velha conhecida do gabinete dos primeiro-ministros ingleses. Desde 1987, com Margareth Thatcher, os seus serviços climáticos têm sido requisitados. A família real, a bem da verdade, não se envolve nesse tipo de assunto.

NF: A operação Casamento Real foi apenas um Detalhe, que serviu de Apoio para uma Outra Mega Operação climática desenvolvida pela FCCC a partir de 25.04.11 no Rio de Janeiro, dado continuidade na Europa e que teve como objetivo
maior uma Equilibrada no Clima de todo o Planeta...

Folha de S. Paulo
Sao Paulo,, 29 de Abril de 2011

Coluna Monica Bergamo

CHUVA SÓ DE ARROZ

A Fundação Cacique Cobra Coral estará presente no casamento do príncipe William e de Kate Middleton, hoje, em Londres. A médium Adelaide Scritori, que diz incorporar o cacique, viajou ao país contratada para levar a chuva embora do local.

O Estado de S. Paulo
Rio de Janeiro, 20 de Março de 2011

Coluna Tutty Vasques

Obama In Rio

Queira Deus que o Cacique Cobra Coral, que dá nome a uma fundação nacional de assistência espiritual-meteorológica, não seja um caboclo vingativo. Atendendo a insistentes apelos dos organizadores da visita de Barack Obama ao Rio, a médium Adelaide Scritori - hospedeira da tal entidade espanta-chuva - topou no início da semana dar cobertura ao evento, e só na sexta-feira ficou sabendo do cancelamento do showmício da Cinelândia, razão maior dos serviços que prestaria gratuitamente, numa espécie de "canja" para o Obama.
E pensar que, para estar à disposição do presidente dos EUA neste fim de semana, Adelaide declinou de um convite do Paulo Coelho para comemorar ontem, com 140 amigos, o Dia de São José em Istambul! Quando lhe deram a notícia de que o discurso do homem havia migrado para dentro do Teatro Municipal, era tarde demais para chegar a tempo da boca-livre na Turquia. Sinceramente, não sei como o tempo não fechou na hora.
Não deve ter sido o único contratempo na estrutura de organização da visita provocado pela mudança de última hora na programação. Ainda que - em relação ao carnaval, por exemplo - a quantidade de seguranças em atividade na Cinelândia seja maior que o número de banheiros químicos solicitados para o evento, vai sobrar cabine para quem quiser fazer xixi no centro do Rio, no domingo, justo quando a venda de cerveja estará proibida em toda a região. Pior ainda: será que, se rolar no palco um selinho da Hebe no Obama, o público que estiver fora do teatro vai poder ver no telão?
Tomara que de todos esses desencontros restem algumas lições para que não se repitam os mesmos erros no Rock in Rio, na Copa do Mundo, na Olimpíada... Ou, um dia, o Cacique Cobra Coral perde a paciência e acaba jogando água da chuva no chope do carioca.



REUTERS
RIO DE JANEIRO, 18 de Março de 2011

Rio taps spiritual help for sunny Obama visit

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Rio de Janeiro, famed for its warm beaches and sunny skies, has hired a spiritual guru to keep the clouds away for U.S. President Barack Obama visit this weekend.
Adelaide Scritori, a medium who followers believe can help control climate patterns, claims to make contact with an ancient spirit known as Chief Cobra Coral who, according to legend, is powerful enough to influence natural phenomena.
She goes into deep concentration so that she can communicate with the chief, and she asks him for good weather, said Osmar Santos, her husband and a spokesperson for the Chief Cobra Coral Foundation that supports Scritori work.
Scritori provides similar services for Rio ahead of its New Year celebrations and has also helped out during the visits of former U.S. President George W. Bush in 2007 and late Pope John Paul II in 1997.
Her intervention was credited with helping raise temperatures in London during an exceedingly cold winter in 1986, according to Santos.
Scritori may have her work cut out for Obama visit, which runs from Saturday night to Monday morning. Brazilian weather website Climatempo was forecasting partially cloudy weather with occasional showers.
Obama will be in Brasilia on Saturday and Rio de Janeiro on Sunday.
(Reporting by Brian Ellsworth; editing by Stuart Grudgings and Anthony Boadle)

O Globo
Rio de Janeiro, 16 de Março de 2011

País C/ Luiz Ernesto Magalhães

FCCC vai monitorá o clima na visita de Obama

PREFEITURA JÁ USARÁ SALA DE CRISE DURANTE VISITA

Centro de Operações fará monitoramento. Município recorreu ao Cacique Cobra Coral

O CENTRO de Operações da prefeitura do Rio: apoio ao Serviço Secreto

A prefeitura vai inaugurar a sala de crise de seu Centro de Operações na Cidade Nova durante a visita do presidente Barack Obama. Representantes do alto escalão do município ficarão de plantão em uma sala dotada de um sistema de telepresença ligado à Gávea Pequena, residência oficial do prefeito, e ao Palácio Guanabara. O objetivo é agilizar a tomada de decisões de imprevistos que forem identificados pelos técnicos no Centro de Operações, e que exijam, por exemplo, reforçar o controle de trânsito pela Guarda Municipal. A prefeitura também colaborou com o Serviço Secreto americano, responsável por planejar a visita de Obama.
— Eles solicitaram informações cartográficas, de trânsito e meteorológica, que nós repassamos — disse o secretário municipal de Conservação, Carlos Roberto Osório.

Cobra Coral monitora o clima

A visita de Obama contará até com ajuda espiritual gratuita. Convidada pela prefeitura e pelo governo do estado, a médium Adelaide Scritori, que afirma incorporar o espírito do Cacique Cobra Coral (que diz ter o poder de controlar o clima), chega hoje ao Rio. Segundo seu assessor, Osmar Santos, Adelaide cancelou uma viagem a Istambul (Turquia), onde celebraria o aniversário do escritor Paulo Coelho, para ajudar na visita.
— Não podemos garantir que o sol vai brilhar. Mas não choverá no evento — disse Osmar.

NF: Como nas visitas do pres. George W.Bush e do Papa Joao Paulo II a SP, a operaçao acima servirá para a FCCC atraves dessa operaçao Reduzir os efeitos dos fenomenos climaticos que atingem todo o país.

Jornal do Brasil
Rio de Janeiro, 13 de Fevereiro de 2011

Informe JB

Só na reza... Black-Out

A Fundaçao Cacique Cobra Coral, que atua com médiuns sobre controle do tempo, mandou recado para o ministro Edison Lobão, de Minas e Energia: Nao adianta só a reza forte, tem que investir na troca de equipamentos sucateados de prevençao.

Revista Istoé Dinheiro
Sao Paulo, 16 de Janeiro de 2011

Coluna Moeda Forte Ediçao 693 de 14.01.2011

Bye bye Brasil...

A médium Adelaide Scritori, líder da Fundação Cacique Cobra Coral, recebeu convite de um grupo ligado ao agrobusiness na Austrália para prestar sua assistência espiritual-metereológica naquele país em tempo integral. Adelaide embarca nesta semana para Melbourne, onde discutirá a proposta.

NF: A proposta engloba atendimentos na Australia e EUA e será analisada pela FCCC num encontro pessoal com outros grupos empresariais em Atlanta e Los Angeles USA, dia 28.

NF II: A FCCC insiste em Manter os convenios operacionais Vigentes no Brasil e nos 17 paises que presta assistencia climatica.

Jornal do Brasil
Rio de Janeiro, 15 de Janeiro de 2011

Informe JB

Multinacional do clima

JB-Informe JB de 12.01.2011

Lembram da médium Adelaide Scritori, a da Fundação Cacique Cobra Coral, que atendia à prefeitura do Rio em alterações climáticas espantando chuvas nas festas? Vai atuar para um grupo multinacional de commodity e agrobusiness. Ficará entre EUA e Austrália.

O Globo
Rio de Janeiro,, 14 de Janeiro de 2011

Tragédia na Regiao Serrana do Rio

Falhas de Comunicaçao em série agravaram desastre historico na Regiao Serrana do Rio

Desencontro de informações entre órgãos técnicos aumentou estragos:
Falhas no sistema de comunicação entre a Defesa Civil do Estado e os 92 municípios
possibilitaram que a causa do maior desastre na história do Estado fosse ignorada. Na terça-feira, horas antes das chuvas que deixaram, pelo menos, 506 mortos na Região Serrana, o órgão recebeu um boletim alertando para a existência de “condições meteorológicas favoráveis à ocorrência de chuvas moderadas ou fortes”.
O aviso foi emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e repassado pela Secretaria
Nacional de Defesa Civil (Sedec). Todas as comunicações foram feitas por e-mail. Ainda assim, pelo menos uma prefeitura local, a de Teresópolis, alegou não ter recebido o informe.
A formação da grande tempestade foi detectada inclusive pelo novo radar da Prefeitura do Rio, o doppler, instalado em dezembro no Sumaré. O aparelho é capaz de identificar a origem de grandes precipitações num raio de 250 quilômetros — mais do que o suficiente para abranger a Região Serrana. No entanto, as imagens que poderiam ter sido coletadas por esta estrutura não foram repassadas.

Estado: faltam meteorologistas
De acordo com o prefeito Eduardo Paes, mesmo que o radar tenha flagrado a formação de temporais próximo à Região Serrana, não seria possível emitir um alerta aos municípios. — O radar fornece fotografias, mas o sistema de análise é mais complexo: ele envolve dados como imagens de satélite, dados geológicos e redes pluviométricas — pondera. — Nossos meteorologistas nunca poderiam fazer previsões de outras cidades sem ter essas informações. Segundo Paes, sequer as imagens captadas pelo radar poderiam ter sido repassadas a outras instâncias: — Não sei se o Estado e essas cidades têm meteorologistas. A Secretaria de Saúde e Defesa Civil do Estado informou que a oferta da prefeitura é “genérica”, e ainda não houve tempo para decidir como serão feitas as análises das imagens do radar. Segundo a assessoria do órgão, os técnicos só seriam responsáveis pelo repasse dos boletins meteorológicos, por email, aos municípios. Cada prefeitura seria encarregada de efetuar um plano de contingência. No entanto, a secretaria não divulgou se há meteorologistas em seu quadro de funcionários. O problema também é destacado pelo meteorologista Manoel Gan, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). — Ainda faltam radares e outros sistemas de detecção de tempestades, mas o maior déficit é de profissionais — critica. — Esses equipamentos requerem mão de obra especializada. E, daqui a cinco anos, a grande maioria dos meteorologistas que ainda estão na ativa já terão se aposentado. Sem as imagens do radar do Sumaré, a única previsão que subiu a serra veio do Inmet. O aviso especial 12/2011, emitido pelo órgão, foi enviado na terça feira à tarde para a Sedec. Esta repassou os dados às 13h56m para a Secretaria estadual de Defesa Civil, ao comando-geral do Corpo de Bombeiros do Rio e à Secretaria Especial de Ordem Pública. O boletim alertava para o “índice significativo” de chuva acumulado em todo o estado, destacando a Região Serrana. O prefeito de Teresópolis, Jorge Mário Serdlacek (PT), disse que o risco não chegou a ser comunicado a seu município: — Não houve aviso de que poderia ocorrer aquela tragédia. A informação que eu tenho é que ela (a tempestade) não poderia ter sido prevista.

Na vizinha Nova Friburgo, o alerta chegou, de acordo com o secretário estadual de Ambiente
Carlos Minc. A população, no entanto, não foi comunicada.
— Nosso equipamento que monitora a altura do rio em Friburgo funcionou, mas tem de haver um treinamento prévio para que as pessoas em suas casas sejam avisadas — ressalta. Professor de meteorologia da Universidade Federal de Santa Maria, Ernani Nascimento elogia o investimento da prefeitura do Rio no radar de Sumaré, mas acredita que o sistema pode ser ampliado.
— Um sistema possível, já testado em Campinas, usa sirenes — lembra. — Alguns moradores têm pluviômetros em casa e são treinados para, com o equipamento, perceber a gravidade das precipitações. Se uma chuva for grave, eles acionam o alarme, permitindo que as pessoas evacuem suas casas.
Com a tragédia, governo do Estado e prefeitura do Rio recorreram à médium Adelaide Scritori da Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC) que diz controlar o tempo. O convênio foi renovado anteontem às pressas.

Globo. com- G1 o Portal de noticias da Globo
Rio de Janeiro,, 28 de Dezembro de 2010

Reveillon Rio - Virada do ano

Prefeitura apela aos espíritos para evitar chuva no réveillon do Rio

No que depender das forças do além, a chuva não vai atrapalhar a queima de fogos no réveillon da praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio. A médium Adelaide Scritori, presidente da Fundação Cacique Cobra Coral, promete recorrer aos espíritos para garantir o tempo bom na noite do dia 31.

Segundo a assessoria de imprensa da fundação, mesmo com o contrato suspenso com a Prefeitura do Rio, o prefeito Eduardo Paes pediu a médium que ela montasse um "quartel general" na Avenida Atlântica para concentrar os trabalhos e as orações para São Pedro. A entidade afirma que o espírito do Cacique Cobra Coral já teria sido de Galileu Galilei e Abraham Lincoln.

A Fundação explicou que o contrato com a Prefeitura do Rio foi suspenso no final de outubro, quando a Secretaria municipal de Obras e a Geo-Rio deveriam enviar relatórios com as obras realizadas e planejadas para conter os problemas climáticos, como chuvas e enchentes.

Ainda de acordo com a Fundação Cobra Coral, o material só foi entregue no último dia 23 de dezembro e será analisado pelos técnicos da entidade espírita no início de janeiro.

A Secretaria Municipal de Obras informou que o contrato com a fundação ainda está vigente até 25 de março de 2013, conforme publicado no Diário Oficial do município em 29 de março de 2010.

O assessor da entidade, Osmar Santos, explica que a Fundação Cacique Cobra Coral só renova os contratos mediante a apresentação do cronograma de obras.

“O cacique tem uma frase sábia. Ele nos disse que nós não podemos ajudar os homens de maneira permanente, se fizermos por eles, aquilo que eles podem e devem fazer por si próprios. Mas creio que o contrato será renovado até porque ficamos satisfeitos com a instalação do radar meteorológico”, argumentou o assessor.

Desde o show do Roberto Carlos estamos com essa operação para manter o tempo bom. Recebemos pedidos de Nova York e da Europa para viajarmos e orarmos para acabar com a nevasca, mas optamos em atender aos pedidos dos cariocas e turistas que vem ao Rio.
Convenio com Estado do Rio pode ser Suspenso:

O contrato da fundação com o governo do Rio também pode ser suspenso a qualquer momento. A assessoria da entidade revelou que o prazo para a entrega dos relatórios de obras venceu na segunda-feira (27). Segundo a organização, os convênios e contratos com prefeituras e governos não tem custos.

Segundo Osmar Santos, a médium que recebe as mensagens do cacique Cobra Coral deixou de passar o réveillon no Sul da França para orar pelo tempo bom no Rio.

“Desde o show do Roberto Carlos estamos com essa operação para manter o tempo bom. Recebemos pedidos de Nova York e da Europa para viajarmos e orarmos para acabar com a nevasca, mas optamos em atender aos pedidos dos cariocas e turistas que vem ao Rio. Nesse caso, vamos pedir que a chuva não caia no Rio e chegue às regiões mais necessitadas e vítimas da seca”, ressaltou o assessor.

Portal IG Último Segundo
Rio de Janeiro, 28 de Dezembro de 2010

IG Rio - Reveillon 2010-2011

Ano novo no Rio deve ser debaixo de chuva

Pelos informes dos institutos de meteorologia, o ano-novo na cidade do Rio de Janeiro será debaixo de chuva. O Climatempo prevê sol e aumento de nuvens na manhã do dia 31, porém estima pancadas de chuva à tarde e à noite.

No site do Weather Chanel, uma nuvem carregada e com um raio dependurado ilustra as previsões desanimadoras para a festa da virada na capital carioca: “Scattered T-Storms” (trovoadas dispersas), diz o texto. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) confirma o toró: tempo “parcialmente nublado a nublado, com pancadas de chuva em áreas isoladas no final do período”.
Veja os preparativos para a festa da virada no Rio
O tempo fechado no Rio começou na segunda-feira (27) e, de acordo com a previsão, deve durar até o próximo domingo (2). O Inmet informa que esta quarta-feira (29) será de tempo nublado “com períodos encobertos com chuviscos e/ou chuvas isoladas”. Na quinta, “períodos de parcialmente nublado com possibilidade de chuvas isoladas”.

No último dia 20, a prefeitura passou a contar com um novo radar meteorológico, com o objetivo de captar mais rapidamente a chegada de temporais. O Aparelho custou R$ 2,5 milhões e promete alcance de 250 quilômetros – segundo especialistas, atravessa nuvens e mede sua velocidade e direção por meio de tecnologia batizada de Doppler.

Com a ajuda do Doppler, o sistema Alerta Rio, da prefeitura, informou que na tarde desta terça-feira (28), a Defesa Civil Municipal atuou em estado de vigilância, o que significa “ausência de chuva ou chuva leve nas próximas seis horas”. Contudo, o boletim lançado às 17h, foi contestado meia hora depois por uma pancada de chuva que atingiu a cidade. Às 18h, novo boletim deixava em atenção (possibilidade de chuva moderada, ocasionalmente forte, nas próximas horas) os bairros de Jacarepaguá, Recreio e Barra da Tijuca, na zona oeste, e Copacabana e Ipanema, na zona sul.

No site do sistema municipal, especialistas explicam o motivo do mau tempo: “o transporte de umidade do oceano para o continente manteve o céu nublado/encoberto e as temperaturas amenas no município”.

O Climatempo acrescenta que “há uma frente fria parada entre o litoral do Espírito Santo e do Rio de Janeiro que se choca com ar quente e únido que vem da região Norte”. Esse encontro, segundo meteorologistas, ajuda a aumentar as nuvens de chuva.

Ajuda do Cacique Cobra Coral

Como em anos anteriores, a Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC)prometeu recorrer “aos espíritos” para evitar que a chuva estrague a festa. Embora haja uma discussão sobre a vigência do contrato entre a prefeitura do Rio e a fundação – que assegura que o espírito de Cobra Coral já teria sido o de Galileu Galilei e de Abraham Lincoln –, os trabalhos devem ser realizados.

A médium Adelaide Scritori, presidente da FCCC informou por meio de sua assessoria de imprensa que deixou de viajar para trabalhar em busca de tempo bom no Rio durante a virada de ano.

Defesa Civil em estado de atenção

Em nota, a Defesa Civil do Município informou que está em estado de atenção em regiões da zona oeste, com foco nas bacias da zona sul e de Jacarepaguá, devido à ocorrência de chuva leve a moderada, nas próximas horas.

A Defesa Civil orientou a moradores de áreas de encostas e locais sujeitos a deslizamento que fiquem atentos a sinais de trincas no solo e rachaduras nas paredes.

O Globo
Rio de Janeiro, 25 de Dezembro de 2010

Editoria Rio - Globo On Line

Cacique Cobra Coral garante tempo bom no Show do Roberto Carlos e Reveillon

Mesmo com acordo com a prefeitura rompido, Cacique Cobra Coral garante tempo bom no show de Roberto Carlos e no réveillon
25/12 às 09h02 Luiz Ernesto Magalhães

RIO - A médium Adelaide Scritori da Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC), que afirma ter capacidade de controlar o tempo, anunciou neste sábado de Natal que atuará não apenas no réveillon mas também no show de Roberto Carlos que será realizado esta noite, na Praia de Copacabana. Ela disse que, independentemente do término do acordo com a prefeitura,vai garantir o tempo bom. A fundação decidiu romper unilateralmente o contrato de consultoria porque o governo municipal deixou de enviar, em outubro, relatórios informando que medidas foram adotadas este ano para tentar minimizar efeitos das chuvas:
- Pelo que o alcaide tem feito pela cidade, seus créditos perante a FCCC são maiores que seus débitos. Por isso o Rio não ficará desamparado. Estou retornando para São Paulo, e à tarde estarei no Rio para garantir o show do Rei - disse Adelaide, em e-mail enviado de Porto Alegre ao GLOBO.

O Globo
Rio de Janeiro, 24 de Dezembro de 2010

Editoria Rio - Globo On Line

Sem Ajuda de Cobra Coral


Médium renegocia convênio com prefeitura


Um cochilo dos técnicos da Geo-Rio e da Subsecretaria municipal de Águas (Rio Águas) fez com que a cidade ficasse sem a consultoria espiritual da Fundação Cacique Cobra Coral, às vésperas do réveillon. A entidade, dirigida pela médium Adelaide Scritori que afirma ter o poder de controlar o tempo, decidiu romper unilateralmente o contrato de consultoria porque a prefeitura deixou de enviar, em outubro, relatórios informando que medidas foram adotadas este ano para tentar minimizar efeitos das chuvas. Segundo a assessoria de Adelaide, a documentação só chegou esta semana e os técnicos da fundação estão fazendo inspeções para que o acordo seja restabelecido antes do dia 31. Há mais de dez anos, a médium afirma usar seus poderes na virada do ano. Coincidência ou não, eventualmente chove na noite do dia 31 ou na madrugada do dia 1º, mas nunca na hora da queima de fogos. Este ano, a previsão é de chuva...

Jornal do Brasil
Rio de Janeiro, 01 de Novembro de 2010

Coluna Informe JB c/ Leando Mazzini

Reza brava

A coalizão de Dilma encomendou à Fundaçao Cacique Cobra Coral a chuva que atingiu parte do país e prendeu os eleitores em casa para votarem, diz um integrante da equipe da médium que controla o tempo.

Agenvia EFE - Espanha
London UK, 05 de Maio de 2010

Natureza em furia

Aeroportos da Irlanda, Irlanda do Norte e Escócia voltam a ser fechados

Agencia EFE Espanha de 05.05.

Londres, 5 mai (EFE).- Vários aeroportos da Irlanda, da Irlanda do Norte e da Escócia voltaram a ser fechados a partir das 7h locais (3h de Brasília) nesta quarta-feira pelos riscos causados pela nuvem de cinza procedente do vulcão islandês.
Os aeroportos escoceses de Glasgow e Prestwick o terminal de Derry (Irlanda do Norte) podem ficar fechados durante todo o dia, enquanto o de Inverness (Escócia) deve ficar fechado durante a manhã e o de Belfast durante a tarde, segundo informações da Autoridade da Aviação Civil britânica (CAA).
Outros aeroportos que fecharão serão os de Stornoway, Benbecula, Tiree, Islay e Barra, nas ilhas Hébridas (território escocês). Os terminais de Edimburgo, capital da Escócia, e do noroeste da Inglaterra, por enquanto, seguem operando normalmente.

Jornal do Commércio
Rio de Janeiro, 27 de Abril de 2010

Coluna Márcia Peltier-C/Márcia Bahia

Tem Mais

Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral, está regressando da Europa, aonde foi chamada pela Comunidade Econômica Européia para dar ajuda astral e diminuir a fúria do vulcão da Islândia. Ela deixou o alerta por lá de que não só o vulcão islandês voltará à carga, mas que outro igualmente potente irá tirar o sono daquele continente, em breve. A medium acredita que vários países têm elevado o número de testes nucleares subterrâneos, fato que vem acelerando a movimentação das placas tectônicas e ocasionando terremotos e vulcões em todo o planeta.

Obs: As operações da FCCC tem o apoio financeiro das Empresas Tunikito - Tunikito Corretora de Seguros Ltda, que opera com as principais Cias de seguros do pais.

O Dia
Rio de Janeiro, 07 de Abril de 2010

Coluna Informe do Dia c/ Fernando Molica

Alerta Rio procurou a médium do clima, mas ela diz que foi tarde demais...

Rio - A Fundação Cacique Cobra Coral — que se diz capaz de impedir tempestades — reclama de só ter sido acionada pela prefeitura às 23h51 de anteontem, quando o Rio já estava inundado. A médium Adelaide Scritori estava na Venezuela e lamentou o descaso.

Cobra Coral 2

Em e-mail para a prefeitura, ela frisou que este foi o “segundo problema técnico em menos de 30 dias”. Adelaide voltou para São Paulo e diz que trabalha para reduzir os estragos da chuva.




O Globo
Rio de Janeiro, 07 de Abril de 2010

Editoria Rio - Caderno Especial

Cobra Coral: CAOS ESTAVA INSTALADO

A explicação para um dos piores temporais do Rio de Janeiro pode estar na falha humana. Essa é a avaliação da assessoria da médium Adelaide Scritori, que incorpora o Cacique Cobra Coral e que estaria magoada com as autoridades. A Fundação Cacique Cobral Coral (FCCC) informou que só foi acionada no final da noite de segunda-feira. Num e-mail à FCCC, a Geo-Rio alegou problemas técnicos para não ter pedido ajuda assim que soube, por volta das 15h, que poderia chover forte na cidade.
— A proposta da nossa parceria é atuar como um paliativo. Mas só podemos agir se formos convidados. Não adianta sermos convocados com o caos já instalado — explicou o relações públicas da fundação, Osmar Santos.
O convênio com a prefeitura é sem ônus para o município.

NF:

O Globo
Rio de Janeiro, 16 de Fevereiro de 2010

Carnaval Rio 2010 C/ Luiz Ernesto Magalhaes

Brisa suave

Depois da onda de calor que atingiu o Rio nas últimas semanas, a primeira noite de desfiles do Grupo Especial na Marquês de Sapucaí ocorreu sob os efeitos de uma brisa suave que reduziu a sensação térmica. Coincidência ou não, a médium Adelaide Scritori, que diz incorporar o espírito do Cacique Cobra Coral, capaz de controlar o tempo, estava na Sapucaí no camarote conjunto do governo do estado e da prefeitura do Rio. A médium mantém contratos não remunerados tanto com a prefeitura quanto com o estado.

O Globo
Rio de Janeiro, 05 de Fevereiro de 2010

Globo On-Line 05:00:08

Sergio Cabral contrata Fundaçao Cacique Cobra Coral

Sérgio Cabral contratou os serviços da Fundação Cacique Cobra Coral, a mesma que há anos protege o Rio dos maus humores do tempo e se diz responsável, entre outros feitos, pela lua cheia depois de um dia de chuva, no último réveillon de Copacabana.
Com a tragédia de Angra, o governador achou melhor contratar a FCCC enquanto efetua as obras que irao combater as causas das enchentes.

Aliás e a propósito

A Fundação Cacique Cobra Coral tinha contrato com a prefeitura de São Paulo até Setembro do ano passado,quando Rompeu o convenio com Gilberto Kassab devido a prefeitura de Sao Paulo nao ter aplicado recursos em obras contra enchentes.

Jornal do Brasil
Rio de Janeiro,, 29 de Janeiro de 2010

Coluna Informe JB c/ Leando Mazzini

Kassab apela à reza contra a chuva

Kassab não aguenta mais ver água. Foto da Ag. Brasil


Um emissário do prefeito Gilberto Kassab, de São Paulo, procurou a Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC) – conhecida por usar mediuns para controlar o tempo – a fim de retomar convênio desfeito em setembro. Uma curiosidade: a fundação informou que Kassab deveria nomear alguém para a Secretaria de Administrações Regionais, e sugeriu lista tríplice, com Walter Feldman, Ricardo Teixeira (o vereador) ou Andrea Matarazzo. Segundo a FCCC, é porque o prefeito teria prometido obras pelo órgão e não as fez, para ajudar no combate às enchentes. Ou seja... obviamente só reza não basta. A FCCC é famosa por ter contratos desse tipo (evitar chuvas) com a prefeitura do Rio e o Ministério de Minas e Energia. Não cobra pelos serviços.

O Globo
Rio de Janeiro,, 01 de Janeiro de 2010

Réveillon Rio 2010 - Virada do ano

Sem chuva, réveillon empolga multidão em Copacabana

RIO - A queima de fogos na Praia de Copacabana que saudou 2010 trouxe novidades e encerrou como merecia, com chave de ouro, o último dia de 2009 - entristecido por chuvas e tragédias .

Antes da meia-noite, o tempo melhorou - contrariando a previsão dos meteorologistas - e a lua azul (a segunda cheia do mês, um fenômeno raro) surgiu no céu. Os efeitos especiais do balé de fogos produzido pelo diretor artístico da Disney, o americano Scott Givens, arrancaram aplausos das duas milhões de pessoas (segundo a PM) que lotaram a orla. Pela primeira vez, houve sincronia entre a contagem regressiva e a trilha sonora do espetáculo, que foi ouvida do Leme ao Posto 6.
E contrariando a previsão do tempo de vários institutos de meteorologia, que apontavam chances superiores a 90% de chuva na virada, não choveu durante a festa nas praias cariocas.
A meia-noite, fogos nas cores brancas, seguidas de estrelas cadentes, abriram o réveillon em Copacabana, com a cantora Luiza Malta interpretando a música "Feliz Ano Novo". Logo em seguida, a festa prosseguiu com o espetáculo no céu e mais 22 temas musicais. A música "Do Leme ao Pontal", de Tim Maia, foi interpretada duas vezes pelo cantos B Negão, nas representações dos desejos de amor e de que todos os brasileiros possam prosperar no ano novo. A última parte da trilha, entre 12 minutos e 4 segundos e 15 minutos e 19 segundos do espetáculo pirotécnico, foi com Aquarela do Brasil, Cidade Maravilhosa e terminou com País Tropical.
Com 15 minutos e 19 segundos de duração, a queima de 16 toneladas de fogos nas nove balsas retratou o tema "Desejos de Ano Novo", dividida em oito partes: renovação, prosperidade, paz, felicidade, amigos e família, amor, para o nosso país e para o nosso futuro. O céu de Copacabana ficou colorido e o Rio como sede das Olimpíadas de 2016 foi retratado no nono desejo, o futuro. Cinco minutos antes da contagem regressiva, porém, o palco em frente ao Hotel Copacabana Palace já exibia a escolha do Rio como sede dos jogos em dois telões como um dos dez fatos marcantes de 2009.

O Globo
Rio de Janeiro,, 30 de Dezembro de 2009

Réveillon Rio 2010

Prefeitura do Rio convoca FCCC para afastar chuva de Copacabana


RIO - Os prognósticos do Instituto de Meteorologia, que preveem chuva na virada do ano, não preocupam a prefeitura, que confia nas forças espirituais da Fundação Cacique Cobra Coral para desviar as nuvens de Copacabana e garantir belo espetáculo. Segundo o secretário municipal de Turismo Antonio Pedro Figueira de Melo, a médium Adelaide Scritori foi convidada a participar da organização da festa.
(Veja os preparativos finais para a festa de réveillon)

Na Argentina, o espírito que a Adelaide diz incorporar estaria influenciando o desvio das nuvens. Ela está em Buenos Aires, mas virá para Copacabana no réveillon. O prefeito Eduardo Paes acompanhou, na manhã desta terçado a montagem do palco principal que está sendo erguido em frente ao Copacabana Palace para virada do ano. Os primeiros ensaios estão previstos para manhã desta quarta-feira.
Outros três palcos também estão sendo montados. Paes está acompanhado do secretário Antônio Pedro e do americano Scott Givens, que é responsável pela produção artística da festa.

Globo. com- G1 o Portal de noticias da Globo
Brasilia DF,, 25 de Novembro de 2009

Direto da Redaçao/ G1 em Brasilia c/ Eduardo Bresciani

Senado Volta atrás e Cancela Convite a FCCC para explicar apagao Alertado em 2008 pela FCCC

Comissão cancela convite a entidade esotérica para explicar apagão
Pedido de inclusão foi feito pelo líder do PSDB, Arthur Virgílio.
Os últimos que serão ouvidos são os ministros Dilma e Lobão.

A Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado decidiu nesta quarta-feira (25), por unanimidade, cancelar o convite feito a fundação Cacique Cobra Coral para explicar o apagão que afetou 18 estados no dia 10 deste mês.
Desta forma, a comissão deverá seguir o cronograma de outras duas comissões ouvindo 20 autoridades sobre o tema. Os últimos que serão ouvidos são os ministros Dilma Rousseff (Casa Civil) e Edison Lobão (Minas e Energia).

A inclusão da entidade foi feita a pedido do líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM). Nesta quarta ele explicou na comissão que a intenção era apenas dar visibilidade à estratégia da base aliada de proteger os ministros, deixando-os como os últimos a falar.

Segundo o site da fundação, sua missão é minimizar catástrofes que podem ocorrer em razão dos desequilíbrios provocados pelo homem na natureza. O site faz alertas principalmente sobre as mudanças climáticas e o aquecimento global e tem um serviço próprio de meteorologia.

Autor do requerimento que convoca as autoridades, o senador Roberto Cavalcanti (PRB-PB) foi quem pediu a retirada da entidade. Diante da unanimidade a favor da retirada da fundação, Cavalcanti desabafou: “É inadmissível perdemos tanto tempo”.

O presidente da comissão, Flexa Ribeiro (PSDB-PA), também apoiou a retirada, mas provocou Cavalcanti. “É inadmissível que tenhamos um requerimento que não quer explicar nada”. Cavalcanti rebateu e disse que a intenção é apurar com os técnicos o que houve. Ele se disse aberto à inclusão de mais técnicos do setor para debater o tema.

Leia mais notícias de Política

Jornal do Brasil
Rio de Janeiro,, 21 de Novembro de 2009

Coluna Informe JB c/ Leando Mazzini

FCCC alerta para novo apagão


Para os supersticiosos e céticos, uma notícia que suscita debate entre os cidadãos e preocupação para o governo: a Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC), da medium Adelaide Scritori, enviou novo relatório para o Ministério de Minas e Energia – com o qual tem parceria – alertando para um novo apagão “na região Centro-Sul do país”, dentro de 40 dias, por conta, segundo a entidade, “do tempo severo e ventos fortes e destrutivos em formação”.

A FCCC é bancada por empresários e atua gratuitamente para o governo e prefeituras, como a do Rio. Há quem acredite e quem duvide dessas previsões, mas a entidade ancora-se em fatos, com testemunhas. No início do ano passado, o MME recebeu relatório prevendo apagão este ano.

A medium chegou ao Planalto pelo então presidente José Sarney, quando o alertou para não voar para o Japão no Suctinha.

Sarney alugou um DC10 da Varig. Dias depois, descobriu-se problema na turbina do jato da FAB. A FCCC também enviara alerta para Ulysses evitar helicóptero, uma semana antes do sumiço do líder do PMDB.

A FCCC prestou serviços para Fernando Henrique Cardoso e hoje auxilia o governo Lula.

O Estado de S. Paulo
Sao Paulo, 19 de Novembro de 2009

Coluna Direto da Fonte-Sonia Racy em 17.11.2007

Cobra vai fumar

Publicado pelo Estadao em 17.11.2007:

A Fundação Cacique Cobra Coral - que acredita que pode prever o tempo e, mais que isso, influenciá-lo - acaba de enviar ao Ministério de Minas e Energia um "ultra-secreto" relatório sobre as condições hidrológicas para 2008/2009 no País.
Juram que, lendo o relatório, o governo vai saber se haverá apagão elétrico.

Revista Istoé Dinheiro
Sao Paulo, 17 de Novembro de 2009

Coluna Moeda Forte Ediçao 537 de 16.01.2008

A cobra vai fumar...

Publicado em 16.01.2008

A Fundação Cacique Cobra Coral, especializada em previsões climáticas, enviou um relatório ultra-secreto ao Ministério de Minas e Energia. O texto, de responsabilidade da médium Adelaide Scritori, informa que o risco de apagão em 2009 é real, em função da negligência do governo federal nos últimos anos.

Revista Istoé Dinheiro
Sao Paulo, 16 de Novembro de 2009

Coluna Moeda Forte Ediçao 537 de 16.01.2008

A cobra vai fumar...


A Fundação Cacique Cobra Coral, especializada em previsões climáticas, enviou um relatório ultra-secreto ao Ministério de Minas e Energia. O texto, de responsabilidade da médium Adelaide Scritori, informa que o risco de apagão em 2009 é real, em função da negligência do governo federal nos últimos anos.

Jornal do Commércio
Rio de Janeiro,, 05 de Outubro de 2009

Coluna Márcia Peltier-C/Márcia Bahia

Toque bruxo


A médium Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral, estava em Copenhagen na tarde de quarta-feira, quando recebeu um "aviso do astral" para que se dirigisse imediatamente a Madri. De lá, ela só voltou na quinta-feira, depois de ter neutralizado espiritualmente as forças negativas dos concorrentes espanhóis.

O Globo
Rio de Janeiro,, 02 de Outubro de 2009

Rio 2016 de Copenhague c/Luiz Ernesto Magalhaes

2016 é hoje - Rio pode realizar sonho antigo

Pela primeira vez desde a década de 30, quando o Rio disputou sediar uma olimpíada, a cidade chega hoje à final da eleição para os Jogos Olímpicos de 2016.
Na véspera da escolha, autoridades e cidadãos brasileiros, na capital da Dinamarca, vestiram a camisa do Rio, numa espécie de boca de urna. O jornal britânico “The Times” acha que é justo o Rio ganhar.
Boca de urna pelo Rio
Na véspera da eleição, brasileiros fazem lobby frenético junto a delegados do COI

Os brasileiros que estão em Copenhague defendendo a candidatura do Rio a sede dos Jogos de 2016 tiveram que mostrar ontem, véspera da eleição, fôlego olímpico para enfrentar uma verdadeira maratona em busca de votos. O esforço não é à toa: afinal, pela primeira vez desde a década de 30, quando o Brasil começou suas tentativas para sediar as Olimpíadas, o país é finalista da disputa. A partir de 1996, o Rio candidatou-se mais duas vezes, sem passar da primeira fase. Para que hoje o sonho vire realidade — o resultado será anunciado às 14h (horário de Brasília)—, valeu de tudo, em Copenhague, ontem, para cativar os integrantes do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Aproveitando que a prefeitura da cidade dinamarquesa convidara representantes de todas as delegações para circular de bicicleta pela cidade, o Brasil mostrou que não está lá a passeio: levou logo uma enorme Bandeira do país — providência básica, mas esquecida pelos Estados Unidos, pela Espanha e pelo Japão. Atletas brasileiros que inicialmente participariam da “bicicleata” foram deslocados para o Hotel Marriott, quartel-general do lobby verde e amarelo. Nos corredores, os delegados do COI eram disputados pelos candidatos.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez parte do frenético lobby pelo Rio e passou boa parte do dia no hotel, onde teve encontros reservados com os eleitores. Uma das conversas ao pé de ouvido foi com o presidente do COI, Jacques Rogge. Na véspera, ele já tinha jantado com delegados do COI. O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, também tentou angariar votos.

No vale-tudo da reta final, o escritor Paulo Coelho, que almoçou com esposas de delegados, prometeu até mesmo plantar bananeira na Praia de Copacabana se o Rio ganhar a eleição.

— Terei 70 anos em 2016, mas disse às senhoras que, se o Rio ganhar, vou plantar uma bananeira na Praia de Copacabana. É só começar a treinar aos 68 — disse Coelho.
Cobra Coral em Copenhagen
A boca de urna olímpica do Brasil teve até ajuda do sobrenatural. A médium Adelaide Scritori, que afirma incorporar o espírito do Cacique Cobra Coral e ser capaz de controlar o tempo, passou parte da tarde sentada discretamente a uma mesa do restaurante do hotel Skt Petrick, base da campanha da Rio 2016. A médium fez projeções espirituais sobre o tempo nas cidades-candidatas, num esforço para ajudar o Rio. Na campanha para 2012, Adelaide afirma ter ajudado Londres, que venceu a disputa com Paris.

A médium tirou fotos em frente a uma praça onde as torcidas de Rio, Madri, Tóquio e Chicago vão se concentrar amanhã. O assessor de Adelaide, Osmar Santos, disse que ela, que tem um convênio com a prefeitura do Rio para prever o tempo, isento de onus.

— Se ela acertar em Olimpíada como acerta nas previsões do tempo, vai chover votos para o Rio — disse o secretário da Rio 2016, Ruy Cezar.

Assessores dos governos se dedicaram a revisar informações técnicas.

Um grupo coordenado por Ruy Cezar passou mais de quatro horas debruçados sobre um laptop. Um dos segredos guardados a sete chaves é o vídeo produzido pelo cineasta Fernando Meirelles, que será exibido na apresentação brasileira.

— Dizem que é emocionante. Ao que eu saiba, assistiram ao vídeo apenas o presidente, o governador e o prefeito — disse o presidente da Câmara do Rio, vereador Jorge Felippe.

Apesar da intensa campanha próRio, os representantes do Brasil encontraram tempo para encontros com os adversários. Após o mal-estar entre as candidaturas do Rio e de Madri, o rei Pelé conversou com o rei espanhol Juan Carlos I, antes da abertura da assembleia do COI, evento presidido pela rainha da Dinamarca, Margrethe II, e pelo príncipe consorte Henrik. Em almoço oferecido pelos nobres, Lula posou para fotos com a a primeira-dama americana, Michelle Obama.

Uma semana nervosa para Arthur Nuzma

A votação de hoje tem sabor especial para os moradores do Rio, que torcerão pela cidade na Praia de Copacabana, a partir das 10h — onde haverá shows num palco montado em frente ao Copacabana Palace —, mas importância ainda maior para um carioca em especial: Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro desde 1995. Nada mais natural que Nuzman mostrasse sinais de nervosismo em Copenhague. Numa recepção para a imprensa brasileira, segunda-feira, ele tinha lágrimas nos olhos ao descrever suas expectativas da Rio 2016. Em tom de desabafo, celebrava as notícias de que a candidatura carioca era a favorita: — Muitos não acreditavam que o Rio poderia chegar até aqui. Provamos que temos condições de apresentar um projeto vencedor.

O Globo G1
Rio de Janeiro,, 11 de Setembro de 2009

G1 Globo.com

Fundação que diz prever e controlar tempo rompe convênio com Prefeitura de SP

Organização afirma que alertas sobre temporais foram ignorados.
Prefeitura de SP diz que não vai comentar decisão do instituto.

Thiago Reis
Do G1, em São Paulo
Tamanho da letra
A- A+
Foto: Eduardo Vallim/G1
Temporal de terça-feira deixou ruas de São Paulo alagadas e causou oito mortes na Grande SP (Foto: G1/G1) A Prefeitura de São Paulo não poderá mais contar com a ajuda da fundação esotérica Cacique Cobra Coral, que diz ser capaz de minimizar os impactos dos temporais e outros eventos naturais. O convênio gratuito firmado com a administração municipal em 2005 foi rompido nesta semana pela fundação por tempo indeterminado.

O motivo: a fundação diz ter alertado com antecedência sobre as chuvas que paralisaram a cidade na terça-feira (8), mas afirma que a prefeitura nada fez para tentar prevenir os problemas.

“A gente não pode ajudar o homem naquilo que ele pode fazer por si. As verbas para obras contra enchentes estão congeladas”, diz Osmar Santos, um dos responsáveis pela organização, que prevê chuvas ainda mais fortes na capital até o verão. Segundo ele, após a saída de Andrea Matarazzo, ex-secretário de Coordenação das Subprefeituras, na semana passada, a fundação ficou sem um interlocutor na administração municipal.

saiba mais
Autoridades contabilizam oito mortes por causa de temporal na Grande SP Após temporal, MP recomenda paralisação das obras na Marginal Tietê Efeitos da chuva são inevitáveis, diz governador sobre temporal em SP Veja como ficou SP após temporal Após temporal, lixo fica acumulado em via do Centro de SP ‘Kassab realizou metade dos investimentos’, diz ex-prefeita de SP Para Kassab, corte na varrição e obra na marginal não agravaram caos da chuva
-------------------------------------------------
De acordo com a fundação, que já teve o escritor Paulo Coelho como vice-presidente, as ações para reduzir os efeitos de fenômenos naturais são feitas pelo espírito do chefe indígena americano Cobra Coral. O site da organização diz que a médium Adelaide Scritori é a responsável por incorporar o espírito.

“Quando estavam sendo feitas obras no Metrô de São Paulo,(linha 4 que desabou) houve um pedido para que não chovesse no local. Pois teve temporal na zona norte e na zona sul, mas na zona oeste, não. O prefeito brincava dizendo que lá tinha o guarda-chuva do cacique”, conta Santos.

Procurada pelo G1 nesta quinta-feira (10), a Prefeitura de São Paulo não quis se manifestar sobre o encerramento do convênio.



Leia mais notícias de São Paulo

Folha de Sao Paulo
Sao Paulo, 10 de Setembro de 2009

Coluna Monica Bergamo

Convenio Suspenso


A fundação esotérica Cacique Cobra Coral, que diz prever e controlar o tempo, anuncia que está rompendo, por tempo indeterminado, o convênio que tem com a Prefeitura de SP. "Mandamos um e-mail ao prefeito Gilberto Kassab. Sempre somos acionados quando os meteorologistas preveem chuvas fortes. Nesta semana, nada foi feito. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, nos chamou e pudemos trabalhar. Lá, choveu menos", diz Osmar Santos, diretor da fundação. Ele diz que os esotéricos só voltam a trabalhar depois que Kassab indicar um auxiliar responsável pela interlocução com a fundação.

GRANIZO
E o diretor da Cacique Cobra Coral faz um alerta aos paulistas: "Comprem um caiaque. Choveu só 1% do que estamos prevendo para o verão".

Jornal do Commércio
Rio de Janeiro,, 27 de Julho de 2009

Coluna Márcia Peltier - C/ Márcia Bahia

Macro escala

A médium Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral, dá andamento a uma operação astral para minimizar os efeitos da gripe do tipo A no Rio, elevando as temperaturas. Ela garante que um veranico irá se instalar sobre o Sudeste do país em pleno inverno, pois no frio o vírus se espalha e as pessoas tendem a se aglomerar. Quando o governador José Serra foi ministro da Saúde, em 2002, a FCCC efetuou operação semelhante para reduzir os efeitos da epidemia de dengue, provocando uma estiagem no Rio.

Jornal de Brasilia
Brasilia DF, 26 de Junho de 2009

Coluna Claudio Humerto c/ Teresa Barros

Outro cacique

A médium Adelaide Scritori lembra o registro desta coluna, em 2001, de que o cacique Cobra Coral desaconselhava o ex-presidente José Sarney a voltar à presidência do Senado.

Jornal de Brasilia de 16.09.2001
Coluna Claudio Humberto

Vozes da resistência
Se ouvir a opinião da esposa, d. Marli, e do além, que se manifesta através da médium Adelaide Scritori, o ex-presidente José Sarney vai continuar acompanhando a filmagem do seu romance "O dono do mar", em São Luís. O espírito do Cacique Cobra Coral, garante d, Adelaide, não recomenda o retorno de Sarney à presidência do Senado.





Revista Istoé Dinheiro
Sao Paulo,, 06 de Junho de 2009

Coluna Poder

Voo Cego

Os governos do Brasil e da França estão tendo apoio da Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC), entidade esotérica- científica especializada em alterações climáticas, que faz convênios com governos sem custo, na localização e resgate das vítimas e da aeronave da Air France. A entidade vai atuar para melhorar e estabilizar as condições meteorológicas na região do acidente.


Jornal do Commércio
Rio de Janeiro,, 05 de Junho de 2009

Coluna Márcia Peltier - C/ Márcia Bahia

Do astral

Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral, voou, esta quinta, de Natal a São Paulo, de onde continuará o seu trabalho esotérico de monitorar o tempo na região do acidente do Airbus 330 da Air France. A médium afirma ter sido chamada pelo governo brasileiro e ter obtido, também, autorização das autoridades francesas. Esta, aliás, é a segunda vez que a FCCC presta serviços ao país de Sarkozy: há 15 anos, ainda sob a administração de Mitterrand, o Cacique foi chamado para solucionar uma grande seca na França.

Revista Carta Capital
Sao Paulo,, 06 de Fevereiro de 2009

Coluna Diálogos com Mauricio Dias

Poder e superstição

As chuvas não provocaram grandes problemas no Rio de Janeiro até agora.
Mas, dia desses, quando baixou um pé d’água, o governador Sérgio Cabral quis saber do prefeito Eduardo Paes se ele tinha renovado o convênio com a Fundação Cacique Cobra Coral.
Só ficaram aliviados quando foram informados de que o acordo ainda estava em vigor.
Esta foi uma novidade introduzida na prefeitura carioca por Cesar Maia, que, “blindado” pela FCCC, diz que administrou oito anos “sem tragédias”.
José Serra também não resistiu ao misticismo e entrou nessa. Como prefeito, também se guarneceu da “adversidade climática” com previsões esotéricas.

Coluna Esplanada C/ Leandro Mazzini
Brasília DF, 18 de Janeiro de 215

UOL notícias e outros 28 jornais e 24 portais

Seca: Só Reza Resolve

Tem gente que acredita, tem gente que não. Na dúvida, os mandatários ficam com a tradição de parcerias que a Fundação Cacique Cobra Coral mantém com o Ministério de Minas e Energia, governos de Estados, prefeitura do Rio e até governos (Venezuela, na Era Chávez) e organizações internacionais. Para quem não conhece, trata-se de um trabalho mediúnico da brasileira Adelaide Scritori, que recebe orientações do Cacique. Faz chover ou não, dependendo do lugar. E dá certo, garantem clientes.
Só não deu em São Paulo, que, segundo a FCCC, não faz o dever de casa. Sim, obviamente, não só a reza forte ajuda, é fundamental ter a ação humana.
Segundo a assessoria, foi dada uma pausa na Operação Ilumina Brasil porque está na mesa do ministro de Minas e Energia Eduardo Braga a minuta de renovação do contrato do governo com a FCCC – em tempo, não remunerado, para todos os casos. Edison Lobão seguiu à risca. José Sarney é cliente desde que presidente da República, quando a médium previu problemas no avião presidencial e ele deixou de viajar. A FAB, depois, comprovara uma peça falha numa turbina. E pelo relato enviado à Coluna, sabem do que falam:
‘Estamos ajudando os Estados do Sudeste a sobreviverem à seca; É dado um ultimato ao (Geraldo) Alckmin (Governador paulista): se prosseguisse com o plano de avançar sobre as águas do (rio) Paraíba do Sul para socorrer o (sistema) Cantareira, a Seca voltaria. O caso ficou sub judice e o STF autorizou tal Aberração ambiental onde vai acontecer o que já ocorre com nosso Velho Chico…(rio São Francisco que sofre com a seca)’, diz a médium, através da assessoria.
‘Como o Estado do Rio e a Prefeitura têm o Registro Hídrico na mão (FCCC) e não querem se indispor com a União, estão pedindo água para o Rio não secar. Ocorre que as águas enviadas para a divisa de SP com o Rio (Serra da Bocaina) onde fica a nascente do Paraíba do Sul começaram a serem retidas pelo Alckmin em SP e não chegam ao rio PB do Sul’.
‘Foi aí que o cacique disse que enquanto o MME e o Planalto não se manifestarem com relação à renovação do convênio (Como sempre isento de ônus financeiro, mas não ambiental) teremos que mudar a estratégia anterior de levar chuvas através da divisa com SP, e elevar as precipitações em Minas Gerais’, disseca com autoridade.
E sentencia: ‘É que as chuvas que provocaram alagamentos em São Paulo e que entraram no rio Paraíba do Sul não vão chegar ao Norte do Estado do Rio nem melhorar o nível do PB do Sul; Todo o volume de água que entrou no rio PB do Sul vai ser contido pelas autoridades de São Paulo para compensar a situação crítica no sistema Cantareira. Este acréscimo de 10cm que houve no PB do Sul, especialmente em Campos, é de águas que chegam de Minas Gerais pelo rio Muriaé. Após subir estes 10cm, o nível está estabilizado e se não voltar a chover em Minas, certamente em seguida, o nível do Paraíba do Sul voltará a recuar’.
Em suma, acreditem ou não na entidade, a incompetência dos gestores públicos de anos traz uma certeza hoje: só reza forte ajudará o Rio e São Paulo contra a seca.

Jornal do Brasil
SP, 10 de Agosto de 2007

Coluna Informe JB C/ Tales Farias

Alerta a conferir

A Fundação Cacique Cobra Coral, entidade esotérico-científica conveniada com o Ministério de Minas e Energia, governos estaduais e prefeituras - como as prefeituras do Rio e de São Paulo - enviou alerta ao presidente da Infraero e ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmando que os céus não vão esperar até janeiro pelo começo das obras nos aeroportos, uma vez que as chuvas pesadas de verão iniciarão em plena primavera (outubro) e "atingirão duramente a Região Sudeste". A Fundação pede a Jobim que obras sejam iniciadas já, pois senão as chuvas obrigarão o governo - e o povo! - a esperar o verão passar.

Ex-Blog do Cesar Maia
RJ, 25 de Julho de 2007

blogdocesarmaia@gmail.com

Intervenções da FCCC no Rio de Janeiro

Este Ex-Blog tem recebido perguntas sobre as intervenções da FCCC nas questões climáticas do Rio. Abaixo apresento o Relatório de ontem, para que conheçam.



“Com a pressão caindo na Argentina agora, devido à formação de uma nova frente fria, a frente fria que causou toda esta chuva em SP enfraqueceu e se desloca para sudeste em direção ao oceano. Com isso, as chuvas diminuem de intensidade, isoladas e o sol aparece entre nuvens no RJ. O vento seco e frio de sudoeste trazido pela alta pressão que se situava no Paraguai com 1028 mb e que deslocou-se para SC com 1020 mb impediu que toda a chuva que caiu em SP em 24 horas, chegasse ao RJ”.



PS I- A chuva prevista para chegar na madrugada de ontem para hoje no Rio sofreu as Alterações acima, o que Impediu de tal Volume atingir a Cidade. Estou voltando agora para SP de auto.



PS II: Aquele Vento da Penúltima Madrugada que Tanto trabalho Deu e Estragou algumas Tendas foi o Responsável pelo Bloqueio e Desvio das intempéries abaixo que deixaram um Belo dia Ontem, que segundo nos informaram,era muito Importante e Hoje teria mais eventos fechados.

Observatório da Imprensa
, 24 de Julho de 2007

Programa Espacial-Prof. Muniz Sodré

Um foguete no fundo do mar

Hypocrites, na Antiguidade grega, era o indivíduo que, detrás de uma máscara, simulava à frente de uma platéia uma personagem mítica, fazendo pensar ou simplesmente divertindo. É o que hoje chamamos positivamente de ator, seja no teatro, no cinema ou na televisão. Mas na palavra "hipócrita", clara derivação do grego, incrustou-se o significado negativo de "fingimento", da esperta dissimulação de alguém que finge ou aparenta o que não é ou o que não sente. Sabemos muito bem o que é a hipocrisia, mas nem sempre nos damos conta das hipocrisias involuntárias, com que convivemos, tanto nas relações intersubjetivas quanto no que veiculam os discursos sociais.

Uma hipocrisia corrente diz respeito a fenômenos normalmente colocados na rubrica do "esotérico". Quase ninguém, investido de racionalidade média – ainda mais quando portador de curso universitário –, admite publicamente seu assentimento ou sua crença em fenômenos que presumidamente violem as coordenadas científicas da causalidade relativa às categorias de espaço e tempo.

Em princípio, não há aí nada de mal, posto que os juízos guiados pelo senso comum estabilizam a consciência, em especial num campo onde abundam as fraudes ou as vigarices, cujas vítimas são sempre aqueles tendentes a crer em qualquer coisa que aponte para além da realidade banal do cotidiano. A hipocrisia aparece, entretanto, quando se acredita e se esconde a crença debaixo do tapete das conveniências sociais.

Pálidas justificativas

O episódio do lançamento do foguete brasileiro VSB-30 é ilustrativo, merece reflexão. Depois de dois anos de preparação e sete tentativas frustradas de lançamento, a odisséia do foguete terminou no mar. Na verdade, deveria terminar ali mesmo, mais precisamente a 165 quilômetros da costa maranhense, mas com a recuperação do módulo de carga útil. O problema é que o equipamento de localização, que emitiria sinais por ondas de rádio para os aviões, não funcionou, e o módulo se perdeu.

Um vexame: o naufrágio "pôs por terra os esforços da Operação Cumã II. Com 2,3 milhões gastos apenas na cápsula, a missão era considerada o maior passo do programa espacial brasileiro desde agosto de 2003, quando um acidente com o foguete VLS-3 matou 21 técnicos em Alcântara, no Maranhão" (O Globo, 20/7/2007).

As conseqüências não destoam muito do que costuma acontecer em fiascos dessa natureza, ou seja, pálidas justificativas públicas, "rolagem de cabeças" na coordenação etc. Há também os atenuantes da má sorte: a decolagem do foguete tinha sido adiada sete vezes por causa do mau tempo, o que levara a Aeronáutica a alterar procedimentos técnicos, visando a reduzir os efeitos do vento sobre o vôo.

Fenômenos nacionalíssimos

Até aí, tudo burocraticamente normal. Mas, de repente, fica-se sabendo que a Agência Espacial Brasileira (AEB) recorreu aos serviços da médium Adelaide Scritori para afastar os ventos de Alcântara e permitir o lançamento do foguete. Até aí, também, tudo compreensível para nós, por mais que isso pudesse parecer estranho a um observador estrangeiro, um desses aferrados à estrita lógica cartesiana do mundo.

A médium, como tem informado esporadicamente a imprensa brasileira, incorpora uma entidade denominada "Cacique Cobra Coral", que seria capaz de interferir nas condições atmosféricas, a ponto de afastar chuvas e ventos. Existe inclusive uma Fundação Cacique Cobra Coral, responsável pelos contatos e acordos de prestação de serviços com governos e instituições – nacionais e estrangeiras. A Prefeitura do Rio de Janeiro é cliente habitual. Consta mesmo que um importante observatório estrangeiro teria um acordo formal com a Fundação.

E a hipocrisia? É que fenômenos dessa ordem convivem, na realidade brasileira, com declarados preconceitos – nos jornais, nas instituições acadêmicas, nos círculos das elites do saber – para com tudo aquilo que não se ajuste ao figurino do "racionalmente correto". Basta dizer que funcionários da AEB confirmaram à imprensa o contato com a Fundação, mas ressalvando que o pedido de ajuda foi apenas "informal". Hipocrisia pura.

O fato mesmo é que o Cacique Cobra Coral marca presença há muitos anos na esfera pública e nunca se viu uma avaliação jornalística séria do assunto. Os resultados poderiam lançar uma luz mais compreensiva sobre este e outros fenômenos nacionalíssimos, mas tão estranhos ao senso comum quanto, digamos, um foguete no fundo do mar.

A propósito, "a Fundação informou que o trabalho da médium não incluía a localização da carga" (O Globo, 20/7/2007).

NF:Vejam abaixo e-mail de agradecimento recebido pela FCCC após o lançamento, e Agora negado na midia:

----Mensagem original-----
De: Fabiana Vasconcelos
Enviada em: quinta-feira, 19 de julho de 2007 14:43
Para: fccc@fccc.org.br
Assunto: Lançamento do VSB-30
Prezados,
informo que o lançamento do foguete VSB-30 ocorreu, finalmente, às 12h14 desta quinta-feira, 19 de julho de 2007, em Alcântara (MA), ao que tudo indica, dentro dos parâmetros meteorológicos considerados adequados. Ainda hoje as equipes devem resgatar a carga útil com os experimentos científicos.
Informações técnicas detalhadas devem ser divulgadas mais tarde pelo comando da operação.
Desde já agradeço o inestimável apoio desta Instituição, desejando sucesso a toda a equipe.
Atenciosamente,
Fabiana Vasconcelos
Agência Espacial Brasileira

O Globo
, 20 de Julho de 2007

Ciencia - Bernardo Mello Franco

Foguete finalmente sobe, mas carga desaparece

Depois de dois anos de preparação e sete tentativas frustradas de lançamento, terminou ontem, no fundo do mar, a odisséia do foguete brasileiro VSB-30. O naufrágio do módulo de carga útil, que levava nove experimentos científicos e não foi localizado após a queda, pôs por terra os esforços da Operação Cumã II. Com R$2,3 milhões gastos apenas na cápsula, a missão era considerada o maior passo do programa espacial brasileiro desde agosto de 2003, quando um acidente com o foguete VLS-3 matou 21 técnicos em Alcântara, no Maranhão.

Quando os relógios do centro de lançamento marcaram 12h14min, cerca de 300 militares e civis comemoraram a decolagem. No decorrer da tarde, a euforia deu lugar à angústia. Programados para durarem uma hora, os trabalhos de resgate se prorrogaram até o pôr-do-sol. Às 18h30min, a Aeronáutica decidiu dispensar a equipe, que envolvia dois helicópteros, dois aviões Bandeirante e um navio da Marinha. O coordenador-geral da operação, tenente-coronel Fausto Ivan Barbosa, foi o porta-voz da desistência.
- Não há mais nenhuma chance de encontrar a carga útil. A maior probabilidade é de que o módulo tenha afundado - afirmou.
O VSB-30 deveria ter caído a cerca de 165 quilômetros da costa maranhense. Mas o equipamento de localização, que emitiria sinais por ondas de rádio para os aviões, não funcionou. Em meio ao constrangimento com o naufrágio da carga, que levava experimentos para testes em microgravidade, Barbosa tentou atenuar os impactos do fim inesperado da missão.
- Seria errado falarmos em fiasco. É uma operação muito grande e muito difícil de ser atingida - disse.

Pedido de ajuda para o além

O sistema de pára-quedas da cápsula não teria funcionado, disse o oficial. Na quarta-feira, o comando da Cumã II anunciou a troca do coordenador da operação de resgate - justamente a que comprometeu o resultado do lançamento. O major Anderson de Oliveira e Silva Júnior substituiu o tenente-coronel Fernando Ventura. A Agência Espacial Brasileira (AEB) atribuiu o afastamento de Ventura a problemas em sua agenda.
Apesar do naufrágio, partes de quatro experimentos foram salvas por acompanhamento de telemetria. O vôo do VSB-30 durou 19 minutos, um a menos do que o planejado, e a cápsula permaneceu em ambiente de microgravidade durante seis minutos e 12 segundos. Programada para o último dia 10, a decolagem do VSB-30 sofreu sete adiamentos por causa do mau tempo, e a Aeronáutica chegou a mudar a inclinação do lançamento para reduzir os efeitos do vento sobre o vôo.
Ontem à noite, a Fundação Cacique Cobra Coral divulgou em seu site que a médium Adelaide Scritori, que costuma prestar serviços ao prefeito Cesar Maia para evitar chuvas em Copacabana na noite de réveillon, foi procurada pela AEB para afastar os ventos de Alcântara. Funcionários da agência confirmaram o contato, mas disseram que o pedido de ajuda foi apenas informal. A fundação informou que o trabalho da médium não incluía a localização da carga.

NF: A FCCC mantem um Convênio Operacional com a Prefeitura do Rio de Janeiro e diversos Estados.

Jornal do Brasil
SP, 19 de Julho de 2007

Coluna Informe JB com Tales Faria

Só ponte aérea

A Fundação Cacique Cobra Coral afirma que a médium Adelaide Scritori foi acionada pelo prefeito Gilberto Kassab para amenizar as chuvas. A médium diz que o acidente foi um aviso e que as autoridades precisam agir rápido e deixar em Congonhas só a ponte aérea Rio-SP.

NF: A FCCC estava no Rio monitorando a Abertura do Pan e voltou para SP na madrugada de 17/18/07.07 para Atender a Emergência acima e Retorna Hoje(20) para o Rio de Janeiro.

NF II: A FCCC Sugere que o governo Transfira os vôos Nacionais para Cumbica em Guarulhos, deixando em Congonhas Somente a Ponte Aérea Rio x SP e Acelere as Obras do Trem Que interligará SP a (Cumbica)Guarulhos, como ocorre nas principais Metrópoles do mundo que o Aeroporto é Afastado da Cidade mas tem um Metro e um Trem como opção.



Jornal de Brasilia
SP, 19 de Julho de 2007

Coluna Claudio Humberto-www.claudiohumberto.com.br

Aviso dos céus

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, convocou a Fundação Cobra Coral para interromper o vento e aumentar a chuva em São Paulo, facilitando o trabalho dos bombeiros no local do acidente da TAM. A informação é da entidade, que também garante: a médium Adelaide Scritori alertou para "nova tragédia em breve em Congonhas, se não tomarem providências no aeroporto".

Folha de S. Paulo
, 16 de Julho de 2007

Opnião - Ruy Castro

O Além a favor

No tempo das monarquias, os reis eram reis por direito divino. Ou seja, eram plebeus que, por mérito ou não, as instâncias superiores promoviam a reis. Essa promoção, sagrada pela igreja, se estendia aos primogênitos da sua linhagem.
Donde se conclui que o sucesso de um reinado dependia muito da providência divina -afinal, fora ela que entronizara o primeiro governante da série. Às vezes, a dita providência, insatisfeita com os rumos que o rei estivesse tomando, o castigava com chuvas, pestes, secas e outras desgraças, para obrigá-lo a tomar jeito. Daí também que o fato de contar com a providência não livrava o rei de ter de se empenhar como um mortal para o bom andamento de seu reinado.
Nas repúblicas modernas, os governos são eleitos pelo voto popular, o que em tese dispensa a interferência do sobrenatural. Mas tolo será o governante que não tiver pelo menos um aliado no Além -porque há certos fatores que independem de decretos, conchavos ou compra de políticos e juízes.
Que o diga o prefeito do Rio, Cesar Maia. Mesmo sendo bom de voto, ele não abre mão das forças ocultas. Todo ano o Rio exige sol a pino em ocasiões como o réveillon e o Carnaval. E Cesar não deixa a critério das nuvens a decisão de chover ou não. Sempre que preciso, ele recorre à Fundação Cacique Cobra Coral, uma instituição carioca que mantém estreitas relações com os espíritos do vento e da chuva.
Se um toró ameaça desabar sobre os feriados, Cesar vai ao cacique e, pode crer, as águas recuam e temos sol e lua até o último turista. Nenhum gringo leva uma gota. Desta vez, o tempo estava horrível no Rio e era preciso providenciar um céu olímpico para os primeiros dias do Pan. Ele invocou a cobra coral, esta se mexeu e produziu um céu que ninguém se atreveria a vaiar.

   

O GLOBO
São Paulo, 11 de Julho de 2007

Vento e chuva prejudicam treinos e leva prefeito a recorrer a medium

RIO - A frente fria que atingiu nesta quarta-feira a cidade, trazendo ventos de até 76km/h de manhã e temporal à tarde, e dificultando o treinamento de atletas e causando estragos em instalações do Pan. A chuva também prejudicou o ensaio geral da cerimônia de abertura no Maracanã e adiou para hoje o teste do telão de água na Lagoa. Preocupado com o mau tempo, o prefeito Cesar Maia decidiu recorrer aos serviços da Fundação Cacique Cobra Coral, que diz controlar o clima.

De todos os estragos causados, um deles deixou o prefeito e boa parte de seu secretariado em situação embaraçosa, justamente durante a inauguração do velódromo. Às 18h20m, apenas cinco minutos após a chegada de Cesar, uma calha cedeu sobre a sala de locução e controle do placar e do telão eletrônico, montada sem cobertura. A cachoeira que se formou molhou três computadores, cinco monitores, uma ilha de edição, um televisor, microfones e estabilizadores. Todos os equipamentos eram alugados da empresa Eletromídia e o prejuízo, de acordo com técnicos, pode chegar a R$ 20 mil.

— É apenas um detalhe e amanhã faremos os ajustes — disse o prefeito, tentando não transparecer preocupação com os efeitos da frente fria durante o Pan. — Temporais e ventanias não são comuns no inverno e acredito que isso não vá atrapalhar os Jogos.

Imprensa proibida de mostrar estragos do vento
A chuva também levou os organizadores a interromperem por vários momentos o ensaio geral da festa de abertura. Já a ventania da manhã, que derrubou grades de ferro e a lona de proteção da arquibancada na Cidade do Rock, deixou inconsolável o chefe de delegação do beisebol brasileiro, Ricardo Igushi. O jogo-treino da tarde, contra os venezuelanos, não chegou a ser cancelado porque o campo não sofreu danos, mas a imprensa foi proibida de entrar para não mostrar os estragos de perto.

— É difícil o beisebol ter uma exposição na mídia. Quando a gente tem a chance, acontece um negócio desse. A natureza está trabalhando contra nós — reclamou.

De manhã, o treino das seleções de Cuba e da República Dominicana de beisebol teve de ser interrompido por causa do vendaval.

É a segunda vez que o prefeito recorre à Fundação Cacique Cobra Coral para o Pan. A primeira foi em fevereiro, quando a chuva persistente ameaçava a conclusão das obras. Coincidência ou não, após o pedido seguiu-se uma longa estiagem.

— A chuva não vai apagar a tocha do Pan. O pedido do prefeito foi para a cerimônia de abertura, mas, conforme as necessidades, poderá ser estendida — disse Osmar Santos, assessor da médium Adelaide Scritori, que estava em Buenos Aires e pegou um jatinho para o Rio.

The New York Times
, 07 de Julho de 2007

Clima

Um calor opressivo, com recordes de temperatura sendo quebrados por todo o Oeste dos Estados Unidos

Hilary Hartner mergulhou seu cabelo moicano tingido de preto na fonte no centro da cidade enquanto o termômetro chegava perto dos 40 graus aqui na sexta-feira (6/7). Ela então levantou a cabeça para explicar o principal motivo para estar se mudando de volta para Portland, Oregon. "É extremo demais aqui", disse Hartner, 25 anos, cujo collie, Domino, também se refrescava na água. "Quente demais."
Em Las Vegas, a temperatura chegou a 46,6ºC e castigou os moradores na quinta-feira
A poucos passos de distância, Marilyn Parker e um amigo caminhavam de volta ao trabalho após almoçarem em um café, onde optaram por não sentar em uma mesa ao ar livre. "É como entrar no seu forno", disse Parker. "É claro que este é um calor seco. Você se acostuma a ele, mas eu não gosto de uma dieta constante disto."
Mas tem sido uma constante em Boise e em grande parte do Oeste nesta semana, à medida que um sistema de alta pressão tostou o Sudoeste com temperaturas recordes, acima de 45ºC em alguns lugares, e empurrado para o norte para Utah, Idaho, Oregon, Washington e Montana.
Os incêndios florestais também aumentaram. As autoridades federais de incêndios disseram que a quinta-feira foi o dia mais agitado do ano, com 365 novos incêndios relatados. Com semanas de seca, onda de calor e as previsões de raios mas pouca chuva neste fim de semana, as equipes de combate a incêndios assumiram posições no leste de Oregon, Nevada, Utah e Califórnia, e estão esperando pelo pior. "Esta é a receita perfeita", disse Randy Eardley, porta-voz local do Centro Nacional Interagências para Incêndios.
Recordes de calor estão sendo quebrados por todo o Oeste, com Boise atingindo 40ºC na quinta-feira e ameaçando 42ºC na sexta. Em Phoenix, a expectativa era de que a temperatura subiria a 44,5ºC na sexta, o 10º dia consecutivo de termômetros atingindo ou ultrapassando 43ºC. Isto estabeleceria a terceira maior seqüência de dias de 43ºC já registrada pela cidade.
Na quinta-feira, quando a temperatura atingiu 46ºC, a Arizona Public Service Company, a maior companhia elétrica do Estado, registrou seu maior pico de consumo do ano, disse um porta-voz, Damon Gross.
Em Las Vegas, a temperatura de 46,6ºC de quinta-feira igualou o recorde de 1985 e impediu todas pessoas, exceto as almas mais resistentes, a se aventurarem para fora. A máxima e a mínima normais para esta época do ano são 40ºC e 25ºC, de forma que o calor é sempre uma questão de perspectiva. Mas foi anormal o bastante para a cidade abrir várias estações de refrescamento nos centros de recreação.
No Vale Central da Califórnia, as temperaturas pairavam bem acima de 38ºC nesta semana, trazendo lembranças desagradáveis de julho do ano passado, quando uma onda feroz de calor resultou em 140 mortes, o pior número de vítimas fatais de calor no Estado desde 1955.
"Todo ano você acha que é o pior", disse Brandee Bridges, uma recepcionista do acampamento da Associação Cristã de Moços no Vale Central, em Sequoia Lake. "Mas este é o pior de que me lembro."

Portal Correio
Berlim-Alemanha,, 13 de Junho de 2007

Mundo - Àfrica e Aquecimento Global

Cúpula do G8 foi “pura falácia”, diz FCCC

A médium Adelaide Scritori, presidente da Fundação Cacique Cobra Coral, classificou como “Pura Falácia” os acordos da cúpula do G8 em Heiligendamm para a África, e uma ‘Brincadeira’ os relativos ao combate à mudança climática. A chanceler da Alemanha, Ângela Merkel, defendeu um aumento da ajuda à África, admitiu Adelaide, mas todas suas propostas foram rejeitadas. O compromisso firmado em relação à mudança climática é ‘uma brincadeira’ porque os Estados Unidos não aceitaram o estabelecimento de um limite claro às emissões de gases do efeito estufa, acrescentou. Para a médium Adelaide Scritori, o documento final relativo à África é um ‘labirinto lingüístico’, cujo objetivo é ‘despistar’, e que ninguém entenda a que ele se refere.
“No entanto, a fatura será apresentada ainda neste verão. Eles é que vão ver no que dá brincar com a natureza, quando a Europa, Ásia e Estados Unidos arderem de calor e tempestades arrasarem as cidades. Eles verão que a fúria do tempo não vai perdoar tal omissão e que não há mais tempo para Brincar com o Tempo”, disse a líder espiritual da FCCC.
Um boletim especial, fechado logo após o encerramento da cúpula do G8 foi encaminhado aos lideres do G8 com o alerta acima, informando que da mesma África abandonada, uma grande massa de ar seco se deslocará em direção a Europa e sufocará a agropecuária européia, transformando o próximo verão no mais ardente do século. Ásia e EUA também sentirão os efeitos devastadores da sua omissão climática.

Agência ANSA
Itália, 11 de Maio de 2007

Intervento di una medium per la visita del Papa

Richiesto dal Comune di San Paolo per allontanare maltempo

ANSA - SAN PAOLO, 11 MAG - Una medium in azione per salvare la visita del Papa dal maltempo previsto in Brasile. Il suo aiuto e stato chiesto dal Comune di S.Paolo. Ad Adelaide Scritori, di origine italiana, e stato chiesto di fare qualcosa perche una perturbazione proveniente dall Argentina non colpisse, come previsto, la visita papale.

La medium ha detto di aver alzato la pressione atmosferica in Argentina per anticipare dal 9 all 8 maggio l arrivo del freddo.
Effettivamente la temperatura si e molto abbassata.

TRADUÇÃO:


INTERVENÇÃO DE UMA MÉDIUM PELA VISITA DO PAPA

Pedido da Prefeitura de São Paulo para afastar o mau tempo



ANSA – S.Paulo, 11 de Maio – Uma médium em ação par salvar a visita do Papa do mau tempo previsto no Brasil. A sua ajuda foi requisitada pela Prefeitura de S.Paulo. A Adelaide Scritori, de origem italiana, foi pedido que fizesse alguma coisa para que uma perturbação proveniente da Argentina não atingisse, como previsto, a visita papal.


A médium disse ter elevado a pressão atmosférica na Argentina para antecipar a chegada do frio do 9 para o 8 de Maio. Efetivamente, a temperatura abaixou muito.

Revista Época
São Paulo, 08 de Maio de 2007
Fonte: Época On-Line

Prefeitura de São Paulo pede que médium controle
o tempo para a chegada do papa

O clima não será dos melhores para receber o papa Bento XVI. Os meteorologistas prevêem frio e pancadas de chuva. Para evitar o caos na cidade, a prefeitura de São Paulo decidiu usar um método pouco ortodoxo: vai usar o poder da médium Adelaide Scritori, presidente da Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC), para elevar a temperatura e “limpar” o céu. Isso mesmo. O pedido marca o início de uma parceria assinada com a instituição, mantida por uma Corretora de Seguros que lhe destina anualmente 20% de seu faturamento.“É o que nos permite assessorar o governo sem cobrar pelo serviço”, diz Osmar Santos, assessor da FCCC.

Para ajudar São Paulo a receber o papa, a médium da FCCC teria elevado a pressão atmosférica na Argentina a fim de antecipar a chegada da frente fria à capital paulista de quarta-feira (9/5) para terça (8/5). Com isso a temperatura cairia em 10º C no sudeste antes da chegada de uma massa de ar polar que afugentaria as nuvens do céu da cidade. É o que explica Osmar Santos em resposta ao pedido da prefeitura aqui reproduzido.

E-MAIL: clique aqui, e veja o email enviado e assinado por Ronaldo Camargo, secretário adjunto das Subprefeituras e ex-engenheiro da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET)

 

O Estado de S.Paulo
São Paulo, 10 de Maio de 2007

Coluna Persona-Cesar Giobbi

Missa Fria

A Fundação Cacique Cobra Coral, especializada em monitoramento das condições atmosféricas, foi convocada pela Prefeitura para garantir tempo bom na capital paulista durante durante a visita do papa Bento XVI.

A operação, que a FCCC vem realizando desde o domingo, foi no sentido de afastar 90% das chuvas previstas para a capital e desviá-las para o Sul de Minas Gerais, onde uma estiagem castiga a região.

Mas as previsões meteorologicas afirmam que a temperatura durante a missa no Campo de Marte não deve ultrapassar os 10.C.

NF: A Missa começou com uma temperatura de 16.C.

Estádio do Pacaembú em SP dia 10.05.07 - 3 horas antes do Encontro do Papa com os Jovens.
 
Estádio do Pacaembú em SP dia 10.05.07 - 4 horas antes do Encontro do Papa com os Jovens.

 

O Globo Online
São Paulo, 09 de Maio de 2007

Prefeitura pede tempo bom a médium, mas previsão é de chuva

SÃO PAULO - Apesar do pedido da Prefeitura de São Paulo à médium Adelaide Scritori - da Fundação Cacique Cobra Coral - que ajude a limpar o céu e a afastar as chuvas durante a visita do Papa Bento XVI à capital, a meteorologia prevê chuva e frio na capital durante os eventos públicos do pontífice nesta quarta e quinta-feira.

O e-mail com o pedido à médium, assinado por Ronaldo Camargo, secretário adjunto das Subprefeituras e ex-engenheiro da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), foi divulgado pelo site da revista Época ( Confira o e-mail ).

Camargo é braço-direito de Andrea Matarazzo, homem-forte da Prefeitura. No email, ele alega que chuvas fortes poderiam prejudicar ainda mais o trânsito na cidade. Ele ainda descreve a agenda e o itinerário do Papa em suas locomoções pela cidade.

Esta quarta-feira, ao contrário do que deseja a Prefeitura, será de chuva fraca, com alguns períodos moderada, e frio na cidade. No fim da tarde, quando Bento XVI chegará à capital, há previsão de chuvisco e frio. A previsão é a mesma durante a bênção do pontífice no Largo de São Bento. A máxima hoje não deve passar dos 18 graus.

- A temperatura fica entre 14 e 18 graus. Na madrugada, tivemos 18 graus em alguns pontos e, por causa da entrada de ar frio, a tendência é que a temperatura caia ao longo do dia - diz Alexandre Nascimento, da Climatempo.

A quinta-feira, de acordo com a Climatempo, deve ter a madrugada mais fria do ano na cidade de São Paulo. Os termômetros podem chegar a 11 graus nos pontos mais frios, superando o recorde anterior, de 12,7 graus. Ao longo do dia, a temperatura sobe um pouco e a máxima pode chegar a 19 graus.

Há previsão de chuvisco pela manhã, quando o pontífice tem encontro com o governador José Serra e o presidente Lula no Palácio dos Bandeirantes, e no fim do dia, no momento em que o Papa Bento XVI se reunirá com jovens no Estádio do Pacaembu, na zona oeste.

Jornal A Noticia
São Paulo, 09 de Maio de 2007

Coluna Raul Sartori

Senhora do Tempo

Desembarcou domingo em Florianópolis, procedente da Argentina, a médium Adelaide Scritori, mentora espiritual da Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC). Da Ilha de Santa Catarina, monitorará o tempo durante a visita do Papa Bento 16 a São Paulo, a partir de hoje. Numa operação montada pela FCCC, conveniada com a prefeitura paulistana, o esforço da médium é para que, se ocorrerem chuvas ou temporais, tais fenômenos não afetem a agenda do pontífice.

O Globo Online
São Paulo, 08 de Maio de 2007

Prefeitura recorre a médium para pedir tempo bom para o Papa, diz Época


SÃO PAULO - O secretário adjunto das Subprefeituras da capital, Ronaldo Camargo, pediu à médium Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral, que ajude a limpar o céu e a afastar as chuvas durante a visita do Papa Bento XVI à capital.

A informação foi divulgada pela revista Época, que reproduz o e-mail em que Camargo faz o pedido. veja aqui a íntegra do e-mail

Em seu texto, ele alega que chuvas fortes poderiam prejudicar ainda mais o trânsito na cidade. Camargo ainda descreve a agenda e o itinerário do Papa em suas locomoções pela cidade.

Um assessor da Fundação, Osmar Santos, em entrevista à revista, explicou que a médium teria elevado a pressão atmosférica na Argentina a fim de antecipar a chegada da frente fria à capital paulista de quarta-feira para terça.

Jornal do Commércio
São Paulo, 05 de Abril de 2007

Coluna Márcia Peltier/C/Márcia Bahia

Tempestade em SP

Não foi por falta de aviso: o vendaval que trouxe tanto transtorno à Zona Sul de São Paulo, terça-feira, foi mencionado em relatório enviado para várias secretarias e à Defesa Civil paulista, dia 29, pela Fundação Cacique Cobra Coral. Aliás, a FCCC avisa que novas intempéries irão ocorrer em SP, RJ e MG até maio.

Jornal A Noticia
São Paulo, 05 de Abril de 2007

Coluna Raul Sartori

Calamidade

A médium Adelaide Scritori, presidente da Fundação Cacique Cobra Coral (entidade esotérica especializada em alterações climáticas e previsões de longo prazo), está muito preocupada com o que pode acontecer de calamidades naturais em junho e julho em Santa Catarina. Em seus mapas consta que a água que faltou em 2006 pode vir em excesso neste ano, com muitos ventos e tempestades por aqui. O que aconteceu nos últimos dias é só um começo, alerta Adelaide.

NF: Na coluna de 30.12.06 Foi Registrado os 1/0 sinais da Calamidade acima...

EL PAIS
Espanha, 12 de Março de 2007

La alcaldía de Río recurre a los espíritus

Juegos Panamericanos contratan médium

Los organizadores de los Juegos Panamericanos contratan a una médium para que no llueva en febrero y poder acabar las obras.

Es difícil que los brasileños, para quienes lo mágico y lo sobrenatural se dan la mano en cada esquina, no crean en el éxito del contrato que los organizadores de los Juegos Panamericanos que se celebrarán en Río de Janeiro el próximo julio suscribieron con una médium, quien evitaría que lloviera durante el mes pasado para así poder acabar las obras.

Había llovido en enero durante 21 días consecutivos. En Brasil es verano y la temporada de lluvias dura hasta abril. Para las obras de los Juegos Panamericanos fue un desastre. Los responsables de la organización, de la alcaldía de Río, no sabían qué hacer, y ante el temor a que continuaran las lluvias durante todo el verano, acudieron a la médium Adelaide Scritori, presidenta de la fundación Cacique Cobra Coral, quien asegura que tiene poder sobre la lluvia.

La petición fue realizada por correo electrónico. La semana próxima, la médium tendrá un encuentro personal con el alcalde de Río, César Maia, según informó Osmar Santos, director de asuntos corporativos de la fundación Cacique. Un extracto del contrato de colaboración con la Subsecretaría de Aguas de la alcaldía puede verse en la página de Internetde la entidad, www.fundacaocoral.com.br. La asesoría es gratuita para la alcaldía. La médium sólo ha pedido que la alcaldía les permita divulgar el contrato.

También con Bush

Según la médium, también han ayudado a la alcaldía de São Paulo para evitar que lloviera la pasada semana, durante la visita del presidente estadounidense, George W. Bush. Y no llovió, a pesar de que la meteorología anunciaba tormentas. En Río, la cosa ha resultado aún mejor para la médium. No llueve desde hace exactamente 31 días y, según las previsiones, la sequía durará otra semana. Algo completamente atípico en esta época veraniega de lluvias. Hacía muchos años que no ocurría algo semejante en Río.

Para la médium no existen dudas de su fuerza sobrenatural. Para la alcaldía de Río, la felicidad es enorme, crea o no en las virtudes mágicas de la médium. Lo importante para el alcalde Maia era poder acabar las obras, para evitar una mala imagen. El contrato con la médium fue gratuito, y un cierto halo de espiritualidad para la alcaldía, en un país donde lo divino es tan natural como lo profano, no le va mal a los políticos a la hora de recoger votos de las masas de creyentes pobres, sobre todo, de las favelas, para quienes la fe, como decía el viejo Marx, es su único consuelo.

Jornal do Brasil
São Paulo, 12 de Março de 2007

Coluna Informe JB com Tina Vieira

Hora extra

Preocupada com a possibilidade de uma chuva daquelas durante a passagem do presidente George Bush pelo Brasil, a prefeitura de São Paulo contou com a ajuda da médium Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral. A Defesa Civil chegou a decretar estado de atenção, por volta das 15h de sexta-feira, porque os radares mostravam a chegada de fortes chuvas. Mas Adelaide trabalhou para que o temporal fosse desviado e, às 17h, a Defesa Civil suspendeu o estado de atenção.
Recado
Para não perder a oportunidade, a médium fez chegar à comitiva do presidente americano uma carta com uma previsão de caos na agricultura dos Estados Unidos, já na próxima colheita, devido à desatenção do país com o meio ambiente.

O Globo
Rio de Janeiro, 10 de Março de 2007

Pan Rio 2007

Médium é contratada para manter tempo firme durante obras

RIO - A série de imprevistos que deixou os prazos apertados para concluir as obras dos Jogos Pan-Americanos (13 a 29 de julho) já levou a prefeitura a apelar até para o Além para evitar mais problemas. Em fevereiro, logo após um forte temporal que alagou a cidade, incluindo as garagens da Vila do Pan, os engenheiros concluíram: de nada adiantava contratar mais operários para suar o macacão nos canteiros se o clima não colaborava. Afinal, janeiro já havia sido muito chuvoso. Resolveram então pedir socorro à médium Adelaide Scritori, presidente da Fundação Cacique Cobra Coral, que afirma ter poder de desviar as chuvas. Coincidência ou não, o Rio entrou num período de estiagem. Já são 27 dias sem chuvas fortes, algo atípico no verão carioca. Nesta sexta, segundo o Climatempo, os termômetros registraram o recorde do ano: 39 graus em Santa Cruz.


— O pedido foi feito por e-mail com base no convênio de cooperação que renovamos em janeiro com a prefeitura. Dona Adelaide começou a colaborar com os preparativos do Pan um pouco antes do carnaval. Semana que vem, terá um encontro com o prefeito Cesar Maia para reavaliar as necessidades para as obras — disse Osmar Santos, diretor de assuntos corporativos da fundação.


O extrato do contrato com a Subsecretaria de Águas da prefeitura aparece no site da entidade (www.fundacaocoral.com.br). A consultoria é grátis. A médium, que incorporaria um espírito que no passado esteve encarnado em Galileu e Abraham Lincoln, já foi até convidada para assistir aos desfiles da Sapucaí no camarote do prefeito. Tudo em reconhecimento aos serviços prestados — diz evitar chover enquanto as escolas estão na avenida. A médium pede apenas que o município permita a divulgação do acordo.


— Também ajudamos a Prefeitura de São Paulo na visita do presidente George Bush. Não em consideração a Bush, mas à população da cidade. O trânsito em São Paulo já ficou confuso com tantas vias interditadas pelo esquema de segurança. Imagine o sofrimento se chovesse e o trânsito ficasse ainda mais complicado — disse Osmar Santos. Cesar Maia não confirma o encontro com Adelaide. Enigmático, o prefeito respondeu numa entrevista por e-mail que com a médium: “tudo é contínuo e automático”.

Informe FCCC
São Paulo, 09 de Março de 2007

Visita de Bush a SP

FCCC entrega Alerta a Bush Sobre Aquecimento Global

Dando continuidade a Operação "Visita Presidencial a SP" iniciada ontem, a pedido da Prefeitura de SP, a FCCC revela que a Defesa Civil chegou a decretar estado de atenção em toda cidade, ontem, às 15h, porque os radares mostraram a chegada de fortes chuvas. A médium Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral, trabalhou para que o temporal fosse desviado. Às 17h a Defesa Civil suspendeu o estado de atenção.
Até a chegada do avião presidencial que trouxe o presidente George W. Bush, às 20h, no Aeroporo de Guarulhos, onde o prefeito Kassab e comitiva aguardavam, nenhuma gota dágua havia caído. E mais: não choveu em nenhuma das ruas do trajeto, enviado diretamente à médium Scritori pelo staff que organiza a visita de Bush a São Paulo. Mas, acredite: a médium Adelaide Scritori só pegou tal operação para poupar os transtornos que a população paulistana poderia sofrer, caso uma chuva forte causasse alagamentos na cidade, que já estava com várias vias interditatas por conta do esquema de segurança de Bush.
Adelaide aproveitou a oportunidade para fazer chegar em mãos do "Senhor do Aquecimento Global" uma carta da FCCC, alertando para o caos na agricultura dos Estados Unidos, já na próxima colheita, devido à desatenção dele ao meio ambiente...

Diario de Brasilia
São Paulo, 08 de Março de 2007

País

Visita de Bush a SP teve apoio Espiritual

O presidente George W. Bush nem imagina, mas os preparativos para a sua
visita em S. Paulo, incluem um aparato paranormal. Como a Fundação Cacique Cobra Coral
que faz alterações climáticas) é conveniada com a prefeitura paulistana, a Médium Adelaide Scritori, presidente da FCCC, foi convocada para monitorar as condições atmosféricas
de S.Paulo nestes dois dias e, se for necessário, intervir para evitar chuvas fortes.
Como a comitiva de Bush atravessará a cidade várias vezes nos traslados entre o Aeroporto de Cumbica, o Hotel Hilton, na Marginal Pinheiros, e seus compromissos nas Zonas Leste e Oeste, o alagamento de avenidas como a 23 de Maio e possíveis engarrafamentos poderia causar o caos no esquema de segurança da visita presidencial.

Revista Dinheiro
, 25 de Fevereiro de 2007

Coluna Poder - Edição 492 - Página 10

CONTA-GOTAS

Tempo bom nos sambódromos do Rio de Janeiro e de São Paulo, chuvas sobre o interior do Nordeste. A meteorologia do Carnaval foi coordenada pela médium Adelaide Scritori, presidente da Fundaçao Cacique Cobra Coral, para atender às prefeituras das duas capitais e o governo federal. De Brasilia a contrapartida prometida para desviar a umidade para o sertão seria a retomada imediata das obras de revitalizaçao e transposição do rio São Francisco.

Ministerio da Integração Nacional
Brasilia(DF), 23 de Fevereiro de 2007

Notícias

Editais de licitação de obras de integração do São Francisco saem após o Carnaval

Brasília - Em entrevista, dia 14.02.07, no Palácio do Planalto, o ministro da Integração Nacional, Pedro Brito, informou que os editais de licitação para as obras de integração do Rio São Francisco com as bacias hidrográficas do nordeste setentrional serão publicados após o Carnaval. Os editais da obra divididos em 14 lotes totalizam R$ 3,3 bilhões e os de supervisão, R$ 84 milhões.
Pedro Brito concedeu a entrevista depois de participar de reunião com o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a com a equipe responsável pela estruturação e acompanhamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), anunciado pelo Governo Federal, em janeiro.

Para ações de infra-estrutura hídrica em 2007, o PAC garantiu R$ 2,1 bilhões. Sendo que deste total, o Projeto São Francisco terá R$ 730 milhões. Para o período 2007 a 2010, o PAC destinou R$ 12,6 bilhões para a área de infra-estrutura hídrica. O maior volume de recursos será investido na integração do Rio São Francisco com as bacias hidrográficas do nordeste setentrional, conhecido por Projeto São Francisco, que oferecerá água para uma população estimada em 12,5 milhões de habitantes dos estados do Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte e Pernambuco. O valor total do projeto é de R$ 6,6 bilhões a serem aplicados na construção dos eixos de integração leste e norte (R$ 4,9 bilhões); na integração de bacias receptoras (R$ 1,3 bilhão); e em ações ambientais (R$ 226 milhões).

Integração de Bacias – O Projeto São Francisco é composto por um conjunto de canais, adutoras, túneis, estações de bombeamento feito a partir de dois eixos adutores que saem do rio, entre as barragens de Sobradinho e Itaparica.
O Exército Brasileiro fará os canais de aproximação dos eixos norte e leste, que serão responsáveis pelo transporte da água captada no São Francisco para as primeiras estações de bombeamento. Segundo estudos, o empreendimento só vai retirar, de forma permanente, uma vazão de 26 metros cúbicos por segundo do São Francisco, o que equivale a 1,4% do total.


Questão humanitária

Clique aqui e leia a materia completa.

Para o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o projeto de integração do Rio São Francisco “é uma questão humanitária”, pois ele foi concebido para “garantir que o povo nordestino, que tem outros problemas, não tenha o (problema) de água para beber”.

Jornal do Brasil
Rio de Janeiro,, 22 de Fevereiro de 2007

Coluna Informe JB com Tales Faria

Cobra Coral na Avenida

A médium Adelaide Scritori conseguiu a proeza de servir a três senhores durante o carnaval: sexta-feira e sábado, ficou em São Paulo, atendendo a
pedido do prefeito Gilberto Kassab para que não chovesse no desfile de escolas da terra da garoa. Domingo e segunda-feira, foi convocada por Cesar Maia para o Rio. Chegou a dançar com o prefeito na Sapucaí, sem que ninguém
identificasse na jovem senhora a presidente da Fundação Cacique Cobra Coral.
Detalhe: a chuva do Sudeste foi parar no interior do Nordeste. Aí, Adelaide acumulou pontos com o governo federal, que sonha começar já as obras de revitalização e transposição de águas do Rio São Francisco.

Informe Clima
São Paulo,, 19 de Fevereiro de 2007

Carnaval

Tempo Seco no Sudeste e Muita Chuva no Sertão do Nordeste

A chuva caiu forte no fim de semana em todos os Estados do Nordeste. Neste domingo, o destaque fica para o grande volume acumulado no sertão. Segundo medições do Instituto Nacional de Meteorologia, no período de 9 de sábado até as 9h de domingo, choveu cerca de 96 mm em Ouricuri e 56 mm em Cabrobó, localidades do sertão pernambucano. Em Morada Nova, no Ceará, foram 79 mm acumulados no mesmo período. A chuva caiu forte também em Mossoró, no Rio Grande do Norte, e em Iguatu, no Ceará, com um total de 73 mm entre sábado e domingo. Mas em muitas outras áreas do interior destes Estados e também do Maranhão, do Piauí e da Bahia, choveu de 40 a 60 mm. É a chuvarada da Zona de Convergência Intertropical que continua próxima do Nordeste.

 
A médium: poderes que a ciência não explica, mas que os fatos comprovam  
Jornal inglês destaca capacidade da médium de manipular a temperatura
"Meu trabalho é unir ciência
e espiritualidade"
Novas previsões
 

Revista ISTOÉ
São Paulo, 31 de Janeiro de 2007
Fonte: ISTOÉ On-Line

Mediunidade

A senhora do tempo

Ela prevê catástrofes, desvia chuvas
e mexe nos ventos. A médium Adelaide
Scritori, que recebe o Cacique Cobra
Coral, ganha fama mundial. Você pode
acreditar neles?

Por Marco Damiani
Colaborou Carina Rabelo

É possível ser mais forte que a natureza, alterar os ventos, dirigir as chuvas, abrir o sol entre nuvens pesadas? Não responda agora. Guarde seu julgamento para depois de conhecer melhor a mulher na foto ao lado. Adelaide Scritori é vista por muitos como uma senhora do tempo, capaz de prodígios inquietantes no campo das mudanças climáticas. Seus poderes intrigam cientistas, desafiam céticos e amealham uma legião de clientes e admiradores que incluem o primeiro-ministro inglês, Tony Blair, o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge, e os administradores das duas maiores cidades do País, Cesar Maia, do Rio de Janeiro, e Gilberto Kassab, de São Paulo. Adelaide esteve no centro de fatos desconcertantes como a súbita elevação de 29 graus centígrados na temperatura de Londres, a abrupta interrupção de chuvas torrenciais em Santa Catarina e o deslocamento para o mar de temporais que castigariam o Rio de Janeiro. Ela sustenta ser uma médium que se comunica com o Cacique Cobra Coral, espírito capaz de manobrar fenômenos naturais. Sempre reclusa e avessa a entrevistas, a médium Adelaide pela primeira vez quebrou o silêncio e falou a ISTOÉ sobre os mistérios do seu dom. “Minha missão é minimizar catástrofes que podem ocorrer em razão dos desequilíbrios provocados pelo homem na natureza”, diz.

O Cacique Cobra Coral é um espírito que já foi de Galileu e Abraham Lincoln
Nos últimos dias, Adelaide foi chamada por autoridades paulistanas para reverter as chuvas previstas para caírem sobre a cratera aberta nas obras da linha 4 do metrô, o que atrapalharia as escavações em busca de vítimas. “Temos a necessidade da vossa interferência”, registrou em e-mail, momentos depois do acidente, o secretário adjunto de subprefeituras, Ricardo Teixeira. Vinte e quatro horas mais tarde, o mesmo Teixeira assinou documento oficial de agradecimentos. “Pudemos constatar que choveu em vários locais da cidade, conforme previsto, menos na região afetada pelo desastre das obras do metrô, permitindo, através desse desvio, a continuidade das operações no local.” Ele prosseguiu lembrando que as buscas iriam continuar e, por isso, solicitou “a não ocorrência de chuvas”. Outra vez o sol, é certo, se fez naquela região.

Histórias desse tipo fazem de Adelaide, uma médium de fama mundial. Filha do também médium Ângelo Scritori, que morreu aos 104 anos, em 2002, ela nasceu acompanhada de uma profecia. Geava fortemente sobre o sítio da família, no norte do Paraná, quando sua mãe entrou em trabalho de parto. Toda a plantação de café da pequena propriedade foi perdida, mas Ângelo contou depois que, naquela noite, o espírito do Padre Cícero (1844-1934) se manifestou, como costumava acontecer, por meio dele. Avisou, daquela feita, que a mais nova integrante da família teria poderes para se comunicar com outro espírito, um ente poderoso o suficiente para alterar fenômenos naturais. Sete anos depois, já menina, Adelaide lembra ter recebido pela primeira vez, no centro espírita freqüentado pelos Scritori, as mensagens enviadas pelo Cacique Cobra Coral.

André Dusek
Um aviso a Bush: em 3 de agosto de 2001, Adelaide enviou e-mail à Casa Branca prevendo tragédias em Nova York e Washington. Após os ataques de 11 de setembro, ela recebeu em São Paulo
a visita de agentes do Departamento de Estado

Ao contrário de muitas pessoas que dizem receber espíritos e entidades, Adelaide tem uma atuação amarrada por fortes laços com a ciência. Ela criou a Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC) e, nessa estrutura, montou um braço operacional de previsões meteorológicas. “Antes de falar com o Cacique, dona Adelaide pergunta o que tem de ser feito para atender a uma solicitação dos clientes”, explica o professor Luiz Fernando Matos, graduado em Meteorologia pela UFRJ e pós-graduado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Ele é o meteorologista-chefe da FCCC. Por clientes eles chamam os organismos que têm convênios de assessoramento assinados com a Fundação. Constam da relação, neste momento, o Ministério das Minas e Energia, os governos do Rio Grande do Sul e Santa Catarina e as prefeituras do Rio e de São Paulo. Em tempo: todos os convênios têm custo zero para os contratantes. “Nosso acordo tem-se mostrado produtivo em termos de informações e projeções, além de elementos de prevenção”, afirma Cesar Maia. Sobre os poderes de Adelaide em atenuar intempéries, ele suaviza, sem desmenti-los. “O que posso dizer é que as chuvas e temporais, desde a assinatura do convênio, têm sido proporcionais à nossa capacidade de enfrentá-los.” Em novembro, a médium foi solicitada a desviar uma chuva grossa prevista para cair nas encostas do morro do Joá, no bairro de São Conrado, onde funcionários municipais faziam obras de contenção. Registra-se que a tromba d’água foi dar em alto-mar.

A encomenda de Thatcher: Londres chegou a registrar,
no inverno de 1986, temperaturas de 30 graus abaixo de zero. A então primeira-ministra Margaret Thatcher pediu ajuda à médium. Num único dia, o clima esquentou em 29 graus

As consultas de Adelaide ao seu meteorologista-chefe descem a minúcias sobre o volume de milibares de pressão atmosférica e o índice exato de umidade do ar. Tudo para que, quando questionada pelo espírito do Cacique Cobra Coral, ela possa monitorá-lo sobre como agir. É difícil, dificílimo de acreditar, mas até mesmo a cética imprensa inglesa teve de se dobrar, em 1986, ao inexplicável que ronda a imagem da médium. Naquele ano, um inverno de 30 graus abaixo de zero castigou Londres, enchendo de preocupação a então primeira-ministra Margaret Thatcher. A “Dama de Ferro” foi aconselhada, não se sabe bem por quem, a pedir os serviços de Adelaide. A médium aceitou a tarefa e, no dia seguinte à solicitação, a temperatura já chegava a um aceitável grau negativo. Ao noticiar a movimentação de Adelaide e de seus assessores da FCCC, o cotadíssimo The Guardian apelidou a turma brasileira de “interceptadores de catástrofes”. Sua fama mundial começou nesta fase. No ano passado, o governo do primeiro-ministro Blair necessitava de um 9 de dezembro sem chuvas, em meio a uma temporada de precipitações, para fazer um anúncio em público. Na data requerida, Londres, depois de muita água, viu outra vez a face do sol. E Adelaide de novo ficou com os créditos pela façanha. Até nas Olimpíadas de Atenas, em 2004, ela fez das suas. Chamada para suavizar o calor abafado que descia sobre a cidade, ela pessoalmente foi até lá e, sim, levou consigo uma brisa fresca que aliviou os jogos.

Renato Velasco
A confiança de Maia: o prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia, é um constante interlocutor de Adelaide. Ele reconhece que depois de assinar convênio com a Fundação Cobra Cobral nenhuma chuva no Rio extrapolou as expectativas

Os cientistas guardam uma distância regulamentar da médium e dos feitos a ela atribuídos. Professor e pesquisador do Instituto de Física da Universidade de São Paulo, Cláudio Furukawa não encontra na teoria uma explicação para os casos de mudança climática em que ela se envolve. “Não há nada na física que comprove um fenômeno paranormal. Isso tudo foge completamente ao campo da ciência”, afirma. Ele admite que cientistas que aceitam o espiritismo ou fenômenos sobrenaturais são discriminados pelos demais pesquisadores, justamente porque dão crédito ao que não conseguem provar. O professor Álvaro Vannucci, membro do mesmo instituto e especialista em física dos plasmas, acredita que os fenômenos mediúnicos ocorrem segundo leis naturais ainda não descobertas ou devidamente entendidas pela ciência atual. “A principal dificuldade de se investigar estes fenômenos corresponde ao fato de eles não serem reprodutíveis. Isto não impediu, no entanto, que grandes cientistas como William Crookes (1832-1919) e Charles Richet (1850-1935) se envolvessem intensamente com este fascinante assunto.”

Elza Fiúza/ABR
A garantia a Ciro: eleitora
de Ciro Gomes na eleição presidencial de 2002,
Adelaide cobrou dele a transposição do rio São Francisco. “Perdi, será impossível”, disse-lhe Ciro. “Não, você será chamado.”
Dias depois, ele virou o ministro responsável pelo Rio
Noves fora os laços científicos, Adelaide, como médium de primeira linha, tem premonições que extrapolam até mesmo os mistérios do tempo. Em 3 de agosto de 2001, antes, portanto, dos ataques terroristas de 11 de setembro nos Estados Unidos, Adelaide mandou um e-mail para o presidente George Bush alertando que uma catástrofe estava para ocorrer em Nova York e Washington. Disse ainda que o presidente não deveria pernoitar na Casa Branca entre os dias 11 e 12. Após os ataques, agentes do Departamento de Estado visitaram a Fundação Cobra Coral, em São Paulo, à cata de maiores explicações para a previsão. Saíram de mãos vazias.

Dentro da FCCC, conta-se que a médium manteve estreitas relações com o ex-presidente do Iraque Saddam Hussein (1937-2007). Ela previu a data do ataque americano à Bagdá, durante a primeira guerra do Golfo, em 1990. Impressionado, Saddam solicitou à médium que fizesse chover na região da Sérvia, para impedir um ataque terrestre preparado pela Otan. Foi atendido e o ataque, adiado. Depois de uma visão terrível, Adelaide enviou em 26 de setembro de 1992 um fax ao então deputado Ulysses Guimarães. Alertava-o para não utilizar nenhuma aeronave de pequeno porte na primeira quinzena de outubro. Ulysses, como se sabe, morreu no dia 12 de outubro daquele ano, quando o pequeno helicóptero em que viajava se espatifou no mar. Agora, tome fôlego, leia a entrevista abaixo e, se quiser, responda: é possível dominar a natureza?

 

Informe FCCC
São Paulo, 27 de Janeiro de 2007

Aquecimento Global

Geleiras dos Alpes deverão derreter totalmente até 2050

Um estudo promovido por pesquisadores austríacos revela que as geleiras localizadas na região dos Alpes, na parte central da Europa, deverão derreter quase que totalmente até o ano de 2050 em função do aquecimento global.

Os especialistas do Instituto de Ecologia da Universidade de Innsbruck (Áustria) informaram que a densidade média dos glaciares nos Alpes é de trinta metros, e que no atual ritmo de derretimento, somente os localizados acima de quatro mil metros restarão após 2050.

Na região da província austríaca do Tirol, por exemplo, a taxa de derretimento do gelo chega a 3% ao ano (ou o equivalente a um metro), e como a densidade de suas geleiras é de 33 metros, elas estariam completamente derretidas antes de 2040.

De acordo com o Serviço Mundial de Monitoração de Glaciares, o degelo acelerado nos Alpes teria graves conseqüências para as populações dos vales da região, não só pela falta de água potável, mas também pelas inundações provenientes das montanhas.

Além disto, o derretimento das geleiras dos Alpes deverá provocar prejuízos de bilhões de dólares nas regiões turísticas e de prática de esportes de inverno de diferentes países, incluindo a Suiça, a Áustria, a França, a Alemanha e a Itália.

NF:Pelos Estudos da FCCC,os fatos acima ocorrerão no maximo em 20 anos(2027-2030)... Será o Caos Climático se concretizando, só os USA nao Ver..

NFII:Membros da FCCC estiveram esta semana(25-27.01.07) na Suiça Analizando tal Degelo.Novos dados serão coletados em Londres(de 28 a 31.01.07) e encaminhados posterioremnte em forma de Alerta a CEE(Comunidade Economica Europeia) para providenicas a Longo Prazo...


Informe FCCC
São Paulo,20 de Janeiro de 2007

Últimas Noticias

Desastre no Metrô de SP

Tal qual Cesar Maia, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, também solicitou ajuda sobrenatural da Médium Adelaide Scritori. O engenheiro ligou, segunda-feira à noite, para agradecer à presidente da Fundação Cacique Cobra Coral. Desde sexta-feira (12) ela vem intercedendo junto ao astral para que um temporal não caia sobre a cratera que surgiu no metrô paulista. Detalhe: foi Cesar quem apresentou Adelaide a Kassab.

TV Globo - Jornal Nacional
Rio de Janeiro,, 19 de Janeiro de 2007

Mudanças bruscas no clima

Europa sofre com temporais

Os piores temporais dos últimos 17 anos provocaram a morte de 41 pessoas na Europa. As mudanças bruscas do clima atingiram várias regiões no mundo.
Os piores temporais dos últimos 17 anos provocaram a morte de 41 pessoas na Europa. As mudanças bruscas do clima atingiram várias regiões no mundo.
O contraste na Austrália impressiona. Incêndios causados pela seca na região sul e chuvas além do normal provocam inundações no norte do país.
Na Europa, os ventos atingem 178 km/h, derrubam árvores e causam acidentes com mortes na Inglaterra.
Dezenas de vôos foram cancelados em Frankfurt, na Alemanha. Na costa da Holanda, mar agitado e ondas gigantes ameaçam as cidades.
Nos Estados Unidos o frio já fez vítimas em nove estados, matando 70 pessoas. A neve finalmente chegou em Nova York, mas ainda é uma camada fina, que não trouxe transtornos à cidade. Mas a situação é diferente em boa parte do país, que sofre com um dos invernos mais rigorosos dos últimos anos.
Nos estados de Oklahoma e Missouri, as tempestades de neve deixaram 170 mil pessoas sem energia. A falta de aquecimento e os acidentes nas estradas já provocaram muitas mortes.

Jornal do Commércio
, 02 de Janeiro de 2007

Coluna Márcia Peltier/C/Márcia Bahia

Tempo contado

A médium Adelaide Scritori, da Fundação Cacique Cobra Coral, aterrissou ontem, cedo, em Brasília, para garantir tempo bom para a posse. A ajuda do além foi parcimoniosa: a chuva parou o suficiente apenas para o presidente passar em carro aberto.


 
Acesse o índice de publicações e veja as notícias de 2006 à 2000
Copyright © 2009. Foundation Cacique Cobra Coral - www.fccc.org.br.  |  Privacy policy
All images in this site were given by Três Publishing House.
FCCC OPERATIONS HAVE THE FINANCIAL SUPPORT OF TUNIKITO ENTERPRISES
TUNIKITO INSURANCE BROKER. PHONE-FAX: (+ 55 11) 2455.7755
- www.tunikito.com.br